Tudo o que você precisa saber sobre Locação de Espaços e Buffet (Parte II) - Casando Sem Grana
Planejamento

Tudo o que você precisa saber sobre Locação de Espaços e Buffet (Parte II)

Bon jour cherrys

Prontas para a continuação das nossas dicas? Ótemo, vamos a elas 😉

  • Lembram-se quando falei sobre você blefar e o atendente do buffet não perder a compostura? Pois bem, vou explicar.O atendente é instruído a lhe mostrar tudo o que o espaço oferece sempre dando enfase total ao seu produto. A idéia além de lhe vender é lhe encantar a todo custo. Nem que ele esteja apenas oferecendo pão, água e os fundos da casa dele pra festa. Então ouça bem a apresentação, peça licença para ler com calma o prospecto que lhe será oferecido e em PRIMEIRO LUGAR antes de se falar de valores discutam sobre as clausulas contratuais. Exemplos clássicos: “Se eu contratar vocês para uma festa de 200 convidados os prestadores de serviços do buffet serão contados como convidados?” “Quais são os valores acrescidos em caso de convidados extras e alongamento do período estipulado de horas da festa?” e etc. Não se esqueça também de verificar aqueles outros produtos e serviços que falamos no post anterior como estacionamento, ar condicionado e afins. Veja se as cadeiras e mesas não estão camufladas por tecido horrorosos e não passam de cadeiras de materiais ruins que não agüentam muito peso, ou mesas com tampo de madeira tão ou mais “podis” que as cadeiras.
  • Depois de todas as dúvidas esclarecidas pondere rapidamente se eles estão te oferecendo um pacote realmente BOM. Ora meu amor, cobrar R$ 3.500 pela locação do espaço (Coisa que eu descordo pra caramba, afinal de contas você já vai pagar uma fortuna para alimentar cada convidado, acho que no mínimo essa taxa da locação deveria beirar a zero. Mas aí já é o que eu acho…), mais R$ 54,90 por uma jantinha sem vergonha de uma opção de massa e uma saladinha mais trezentas opcionais que custaram de R$ 6,00 a R$ 10,00 reais por convidado é very easy né? “Mas e aí: O que tem aqui que me faria REALMENTE optar por você e não pelo seu concorrente muuuuuuuito mais enxuto nos valores?. Você vai me dar as mesas e cadeiras do jeito que eu quero? Rola me dar o bolo? Tem um bom convênio com a decoradora? Que mais, hein?”
  • Aí sim é hora de negociar. Você conhece algum judeu ou Libanes? Eu conheço! Sabe como eles fazem quando querem alguma coisa? N-E-G-O-C-I-A-M e não compram nada por impulso e logo de cara no primeiro orçamento. Se você quer Casar sem Grana precisa aprender a ter manejo nas negociações. Em primeiro lugar como diria uma boa amiga “Nunca revele o seu Budget (Sua quantia de dinheiro a dispor)”. Exato! Fique na sua. Ninguém tem nada a ver com a sua vida e suas contas. Mesmo que ele pergunte quanto você pensa pagar, peça para que primeiro ele se retrate e fale das formas de pagamento aceitas. Depois olhe bem nos olhos dele, dê uma avançada pra frente e diga: “Então, você gosta de negociar? É, porque eu gosto!” hahahahaha. Não, mas sério: Diga isso e continue firme sentadinha toda ereta na cadeirinha. Prepare-se para negociar com ele e preste bem atenção se ele vai continuar com aquele sorrisão de outrora nos lábios. Se sim, dê pelo menos 1000 pontos de confiança. Deixe bem claro que quer pagar X e ponto final. Isso dá a idéia de que você até poderia pagar mais, mas quer pagar tanto e se eles realmente estiverem interessados faram uma boa contraproposta.
  • Pelo amor de nosso Senhor Jesus Cristo: NÃO abaixe a cabeça e dê uma de coitadinha. Você não é uma coitada tampouco uma criatura de outro planeta por não dispor de R$ 30.000 mil para fazer um casamento. Você é econômica e uma pessoa muito querida e amada por todos e tem todo o direito de realizar seus sonhos gastando pouco SIM! Não sinta nada ao contrário disso. Devo porem lhe alertar para o golpe do Constrangimento. Como funciona: Somente após o início das negociações é que você deve (repito, sem constrangimento algum) revelar seu poder aquisitivo. Daí preste atenção se aparecerem frases do tipo: “Aaaah, mas aí você me quebra as pernas…é muito menos do que eu costumo fechar…” “Ah, eu esperava que você me dissesse que dispunha de mais…” e outras palavras que servem exclusivamente para te fazer sentir uma criatura POBRE ou no mínimo MÃO DE VACA. “Pra que fazer isso?” você me pergunta e a resposta é: Papo de vendedor. Quem trabalha com vendas sabe que um dos estágios da venda é diminuir a proposta do cliente para que ele se sinta tentado a abrir a mão ou fazer das tripas coração (atolar o pé em dívidas) para pagar pelo produto do vendedor. Coisa PÉÉÉÉÉSSIMA de se fazer com uma noiva. O Casando sem Grana denuncia e detesta essa prática ridícula!
  • Agora, se a negociação foi um sucesso, se você gostou bastante de tudo o que foi oferecido, dos planos de pagamento e se o atendente ficou a todo momento firme, tranqüilo e principalmente não perdeu o sorriso dos lábios: Então pode fechar minha amiga, seu casamento será um sucesso e você será uma noiva LINDA sem dores de cabeça 😉

Beijos!

Tags

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d