Dica | Como driblar os gastos com a indústria dos casamentos (Parte1) - Casando Sem Grana
Planejamento

Dica | Como driblar os gastos com a indústria dos casamentos (Parte1)


Oe galerinha, tudo bem? (:

Vou falar hoje sobre o terror de nós moças sem grana: A indústria do casamento.
Amiga, pior que ela só vuvuzuela em época de copa do mundo. Vamos saber o por quê…

Tudo começou quando minha amiga Ana Paula do Home Doce Home lançou a seguinte mensagem em seu twitter: “Indústria do casamento: É só falar que sou noiva que o preço sobe mais 100% #absurdo”

Agora me diz: É verdade ou não é?
Quem aqui nunca teve um engasgo ao ouvir do atendente do buffet mais chulé do universo que o mesmo sairia por umas 12 mil pratas numa locação de sábado a noite? Isso sem contar que ele não tinha nem mesas nem cadeiras e nem PORCARIA nenhuma fazendo um diferencial no pacote!

Não dá vontade de voar no pescoço dele?!
E quando você faz cara de assustada e ele logo torce o nariz e trata de encurtar o atendimento pensando: “Vixe, essa aí é POBRE!”

ARGHT!!! JÁ PODE MATAR???!!!
Calma gata, não surta na ragatanga! Foi pensando em mim e em você que eu juntei umas idéias contra estas frustrações. A primeira veio da leitora Elisa que compartilhou comigo sua história…
Assim que fiquei noiva uma colega de trabalho me alertou: casar em Brasília é simplesmente entrar num rolo compressor de gastar dinheiro. Tudo bem que em outras cidades não é muito diferente, mas em Brasília o abuso é imenso!

Os grande e badalados fornecedores, sendo bem sincera, oferecem aquilo que se pensa em casamento desde a década de 80! Casamentos com firulas excessivas e de gosto duvidoso…

Bom, essa mesma colega de trabalho me contou seu relato: iria casar em dezembro, mas o apartamento ficou pronto em março e ela não queria ficar pagando despesa de apartamento sem usufruir.. Isso combinado com uma família conservadoríssima e um noivo louco pra começar a vida a dois a decisão foi: adiantar o casamento pra maio! M-a-i-o isso mesmo: mês das noivas e, pra ficar melhor, faltando dois meses pra nova data (q por sinal foi no final de semana do dia das mães, coisa q os fornecedores tbm levam em consideração pra encarecer tudo!).

A conservadoríssima família da noiva não podia adiantar um casamento pra fazer “qualquer” casamento, ou seja, tinha que ser na super mansão, com o super buffet, com a supper decoradora, e assim vai… Prevendo a facada que ia sair a brincadeira, minha colega resolveu ligar pra todos os fornecedores que ela já estava contratando e disse que queria fazer uma festa surpresa pro pai pra comemorar os 50 anos. E que vinha a parentada toda e etc. Resultado, num saldo geral, ela economizou quase 50%, ou seja, casar em maio, faltando dois meses pro casório saiu mais barato do que o casamento que ela estava pagando em “suaves” 12 prestações!

Só quem ficou sabendo do adiantamento da data foi a costureira, o restante, t-o-d-o-s os fornecedores (inclusive fotógrafo, maquiador, etc), achavam q era um aniversário de 50 anos! Dá pra imaginar a cara do povo no dia!

Bom, sabendo disso fui fazer isso no meu casamento. Em muito fornecedores eu simplesmente não tive coragem de dizer q era outra coisa. Mas nos mais caros, como buffet, locação, decoração…

Resultado, em uma casa de festas o preço pra uma festa com mesmo número de convidados era de 18 mil, para um casamento era 34 mil [mas eu ganhava de brinde os noivinhos do topo do bolo (!)], outra me fazia 48 reais por pessoa um jantar, com mesa de frios, sobremesa, mesa de licor, mesa de impacto, o escambau, mas pra casamento era 79 por pessoa SÓ o jantar!!!!!!

Enfim, eu optei por nem procurar esses forncedores, pq acho isso o fim da picada e muita falta de profissionalismo! Pessoas que fazem isso beiram o estelionato!

No final das contas optei por um casamento totalmente fora do circuito: igreja que faz 1 casamentos por mês (pq ninguém procura e ela é simplesmente linda!), restaurante que só fez 5 casamentos até hoje, decoradora que se envolveu muito mais com o significado das coisas do que com o preço das flores, fotógrafa que virou amiga, e por aí vai… Tem sido muito melhor e mais gostoso assim!”

Qué dizê…

Não estamos aqui Elisa, sua amiga e eu, ensinando alguém a mentir, tampouco agir de má fé com fornecedores. O que queremos passar é outra coisa. Vou exemplificar:
Eu trabalho com eventos, já contei. Daí que todas as vezes que preciso cotar um serviço com diversos fornecedores para achar o melhor preço para meus eventos, faço-o da seguinte forma (tome nota!)

– Envio EM PRIMEIRO LUGAR um email ou uma mensagem por qualquer outro meio pela qual eu não FALE cara a cara com ele e ele não ouça minha voz. Por que isso? Porque pelos olhos, gestos e voz você transmite TUDO. Se está ansiosíssima pelo serviço que ele oferece você com certeza demonstrará isso num sorriso largo,nas mãos suadas que gesticulam rápido…entende? Você entrega o jogo e eles sabem como usar isso contra o seu bolso. Se segura hein loca!

– Neste email/mensagem eu digo o que quero passando as informações mais básicas e concisas possíveis: Data do evento,número de pessoas, horários e o que eu preciso que ele me forneça. Se por acaso este fornecedor for o espaço para receber a festa, será inevitável que eles respondam seu contato perguntando qual é o tipo do evento: Social ou corporativo. Daí você pode seguir o exemplo que Elisa nos deu: Diga que é um evento social. Uma festa para amigos (No fim nem mentiu né?). Pronto e acabou. Se insistirem em pedir detalhes, limite-os dizendo que você só quer saber a média de valores com URGÊNCIA pois já tem 2 (diga doooooiiisss!!!! Pois 3 é a média que sempre pedimos) outros orçamentos entregues.

“Ai Sammia,mas eu não sei e nem quero mentir!”

Bom flower aí então é com você. Pense e repense numa forma de driblar as perguntas e dar a entender que o evento não é casamento. Ti vira nega!!!

– Tcherto. Agora que ele te enviou o orçamento compare com outros. Como estamos falando de espaços,faça a cotação com outros na mesma região que tenham a infra semelhante. Mesmo que você não vá fechar com os outros vale a pena fazer isso para saber se mesmo com este truquezinho o preço continua exorbitante. Feito isso, com orçamentos em mãos e decidido qual é o seu WIN, faça o teste de ligar lá agora e pergunte o preço da locação deles para casamentos…
Se o valor continuar na média ou o mesmo para ambas finalidades; só alegrias para você e parabéns a eles que tem bom preço mesmo. Se o valor for muito diferente cabe a você pensar se vale a pena continuar ou não na brincadeira…
Agora fiquem atentas: No próximo post falarei sobre quais são os serviços que PODEM e os que NÃO VALEM A PENA dar esta brincadinha aí e o porque. Zoia? Não percam!

Beijos!

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d