Causos | Minha historia com o Buffet Moreno’s - Casando Sem Grana
Cardápio

Causos | Minha historia com o Buffet Moreno’s

Hello!

O que vou contar pra vocês hoje fará parte de uma série de histórias minhas. “Causos”, já diria o velho deitado. E todos estes “causos” tiveram ou não finais felizes. BUT, baseada em muitos outros “causos” da internet sem desfechos felizes, onde outras pessoas acabaram tendo problemas com a justiça e o escambau; eu opto por estrategicamente não revelar os nomes das empresas que me deram dor de cabeça. Caso você deseje saber mais informações sobre elas é só me enviar um email (no antigo: casandosemgrana@gmail.com) que eu falo quem foi. Do contrário me limitarei a dizer o estado (Obviamente em SP, pois moro aqui) e a região onde rolou o ocorrido. Tá bão? Agora se resultou, por fim, em algo positivo eu conto tudo. Assim com conto hoje…

***

Tudo começou lá pelos meados de Janeiro…Fevereiro de 2009…quando eu ainda era uma “júnior” em assuntos de casamento e acreditava que todo buffet do mundo era economicamente acessível. Comecei uma busca pela internet até encontrar facilmente o Buffet Moreno’s.
Logo de cara eles haviam ganho o meu coração (S2 ou <3): Tinham lindas fotos de cardápios e festas do balacobaco. Enviei pelo site um pedido de orçamento e aguardei ansiosa por uma resposta. Resposta esta muito breve por sinal, e veio por telefone: Um rapaz muito simpático e com uma voz de menino festeiro, me convidou para conhecer a sede da empresa e participar de uma degustação. Me falou sobre como ele organizará algumas festas “quentes” de celebridades e como conquistava a amizade de todos. Achei meio metidão mas resolvi arriscar a visita (Noiva ansiosa é fogo!)

Ao chegar no local e horário combinado tive que aguardar por um longo período pelo rapaz simpático: (Vamos chama-lo de James? Vamos!) o James!
Mas tava tudo bem né? Com um monte de revistas de noivas dispostas na mesa a gente nem vê a hora passar…
Até que chegou o James e me levou feliz e faceiro para uma das centenas de salas de reunião do buffet. Tão logo estávamos envolvidos num papo pra lá de animado onde James me contou suas loucas aventuras pelas festas de casamento que tivessem mulheres encalhadas e uma piscina  O.o  Mas eu estava tão encantada e interessada em tudo que nem via a hora passar e tampouco reparava no papo vazio do James. Eu queria casar e contratar e ele queria vender e lucrar como um louco! Me convenceu a voltar depois, para falarmos de valores e conhecer espaços, junto com o meu noivo. “Combinado!”

Nem me lembro como foi que o convenci (Até então muito mais sensato do que eu) a ir até um bairro nobre de São Paulo, conhecer buffet. Mas ele foi. A contra gosto mas foi.
James nos recebeu mais uma vez com toda a empolgação possível. Se bem que notei uma certa “pressa” no seu atendimento desta vez. Talvez por ser sábado. Talvez por ser sábado e a sede estar cheia. Talvez por ser sábado, sede cheia e estarmos de bermuda? Vai saber…

Fomos convidados a ver fotos de outros casamentos realizados pelo buffet. James pedia licença para entrar e sair da sala freneticamente. Até que um dado momento sentou-se ofegante e disse: “Gostaram?” Nem esperou nossa resposta e disse: “Ai que bom! Então, nós trabalhamos com este, este, este e este espaço. Qual vocês gostam? Escolham um para conhecermos!”

“Ah..am…ah sim…er…bem” gaguejamos. Escolhemos o Clube Português alí pertinho e James ofereceu seu carro para irmos todos. No trajeto mais papo sobre suas vendas, “seus casamentos”, o quanto ele tirava de comissão na empresa e blablablabla!! Thiago, meu noivo, já havia tapado os ouvidos psicologicamente há tempos…

O Clube de fato parecia uma gracinha. Não era um soooooooooonho de lugar, mas era bem ajeitadinho. James foi nos mostrando tudo, explicando cada detalhe. Com pressa. Claro.
Até que pedi para conhecer a cozinha. E qual não foi meu espanto ao ver com a maior cara de “Que porcaria de dia!” (pra não dizer outra coisa); o cozinheiro do buffet, sozinho, cabisbaixo e resmungão ao preparar os quitudes da festa do dia. Nem mesmo o meu “Oi!!!” super animado o fez me levantar a cabeça e me cumprimentar. James logo tratou de nos apressar para o carro novamente. Cabei tropeçando num arranjo do casamento ¬¬

Daí que vem o sensacional: Na volta, ainda no carro, James vai direto ao ponto: “E então, gostaram? Vamos fechar esse casamento, hein?!”. Mais uma vez não tive nem tempo de responder e ele imenda: “Me falem: Quanto vocês tem para INVESTIR na festa?”. Neste momento usei a verdade mais nua e crua possível e ainda fui além do que podia na verdade e disse: “Temos 8 mil reais para TUDO (Mentira, não tínhamos nem a metade disso…)

RÁÁÁÁ, você quer imaginar qual foi a reação do James ou eu te conto? 😀 Tá bom, vou contar:
Sabe esses caras brancões, tipo alemães? Então. Sabe quando eles ficam P’s da vida e se colorem até o dedão do pé de vermelho? Ééééé então…James ficou literalmente emputecido de ter perdido seu tempo com um casal de ralés e completou já quase sem palavras:
“Meo, mas como assim 8 mil reais? Afe velho ASSIM VOCÊS ME QUEBRAM AS PERNAS. Isso aí NÃO PAGA NEM A MINHA COMISSÃO, cês tão loucos! Se eu soubesse que vocês só tinham isso aí nem tinha me dado ao trampo de vir até aqui…”

Hehehehe éééé minha amiga. Só ví meu noivo fechar a cara de uma maneira que acreditei que sairia porrada naquele carro. Segurei sua mão e gesticulava pedindo calma. Eu não sabia onde enfiar a cara, tamanha a minha vergonha. E o James coitado né?…dirigiu o resto do percurso calado…

Na volta ao buffet eu só queria pegar a minha bolsa e sumir. O nosso anfitrião ainda tentou segurar a ira e mostrar uma certa compaixão pela nossa MISERÁVEL condição social nos apresentando opções “A baixo custo” de festa. Mas obviamente a palavra: D.E.C.E.P.Ç.Ã.O (Mais uma vez para não dizer outra coisa) estava estampada em nossas testas e saímos de lá com o rabo entre as pernas…

Existe um estudo comprovado no mercado marketeiro que diz que, quando um cliente sai satisfeito de um estabelecimento, ele falará BEM deste local para no máximo 4 pessoas. Entretanto se este mesmo cliente for mal tratado, ele falará MAL do atendimento que recebido para 10 pessoas!!
E para mim não foi diferente. Felizmente não encontrei 20 pessoas com interesse no buffet, pois com certeza teria relatado tudo o que me aconteceu e aconselhado a não procurá-los.

Pois bem, passado todo este tempo eis que um dia recebo em minha casa uma ligação do mesmo buffet Moreno’s oferecendo mais uma vez a mim os seus serviços. Ouvi tudo o que a outra vendedora com ares de muita simpatia me informou e agradecendo seu contato relatei o motivo pelo qual gostaria de não receber mais ligações dos mesmos. A pobre moça ficou abismada com o que ouviu e prontamente passou a me pedir desculpas pela atitude do colega (até então do qual ela não se lembrava quem era). Desculpas “quase” que aceitas, encerramos por alí. Pouco tempo depois recebo uma nova ligação, desta vez da gerente geral do Moreno’s pedindo amavelmente que eu relatasse todo o ocorrido com o James. Assim que terminei toda a história a moça, coitada, só faltou se ajoelhar via telefone aos meus pés implorando o meu perdão pelo ocorrido. Disse que tal sujeito não fazia mais parte do quadro de funcionários do Buffet e que eles estavam me oferecendo, não para me comprar (Anrãm, senta lá Claudia hahahaha) mas para fazermos as pazes; um jantar na unidade mais bonita do buffet.

Agradeci e
dispensei. Mesmo que o jantar oferecido fosse apenas para selar a nossa paz, com certeza seria uma forma de tentar me vender mais uma vez um produto sofisticado do qual continuo sem poder pagar…

***
Conclusão: Duas simples, sobre o fato

Primeira: Gostou do produto? Pergunte antes de mais nada quanto custa. Tire uma base de valores antes mesmo de sair de casa. Como? PEÇA POR EMAIL uma cotação. Se estiver dentro do que você pode pagar e/ou negociar vá com fé.
Segunda: Não julgue um livro pela capa. Nem uma EMPRESA por causa de UM FUNCIONÁRIO BABACA (ou dois, vide o cozinheiro). O Buffet Moreno’s é uma empresa com mais de sei lá quantos mil anos de mercado e tem profissionais altamente gabaritados e muito mais atenciosos do que você imagina. Então, se você gostou do trabalho da empresa mesmo sentindo-se chateada em um atendimento, TENTE OUTRA VEZ com outra pessoa. Quem sabe você não descobre que era isso que faltava?

Buena Suerte 🙂

UPDATE!

A Noivinha Feliz me lembrou de uma reportagem sobre calotes de buffets exibida hoje (06/12) no Jornal Hoje. Vejam aí

Beijos!

Leia Também

Tags

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d