Casamento real e econômico | Anabelly e André - Casando Sem Grana
HISTÓRIAS REAIS

Casamento real e econômico | Anabelly e André

Mil anos depois (perdão, Bellynha!!!) mas aqui está: Um dos casamentos mais lindos que eu já ví!

O casamento da Anabelly e do André foi mágico! Os dois se conheceram em uma ONG que faz um trabalho parecido com o do Doutores da Alegria e atendem, além de hospitais, asilos, abrigos, casas de crianças com câncer e casas para deficientes mentais e físicos. Estão fazendo esse trabalho até hoje e dizem que faz parte da personalidade deles fazer isso.

Eles queriam casar e estavam sem grana. Mas vocês vão ver pelo depoimento da noiva, as coisas começaram a fluir de um jeito abençoado!

A mãe e o pai dela deram o Buffet todo, e ainda patrocinaram os bem-casados. A fotografia e vídeo foram presentes de 2 madrinhas: As melhores amigas. A mãe do noivo deu as alianças que eram do casamento dela. A tia da noiva fez o cabide do vestido e outra tia, juntamente com a mãe ajudou a pintar as garrafas da decoração. O amigo emprestou o espelho do dia da noiva, a amiga maquiou e o tio fez cabelo da dela, das damas e da mãe. Outro amigo, que conheceram na ONG fez a cerimônia. Gente, olha a colaboração coletiva aqui!!!! rs Pra finalizar, a madrinha levou a noiva no carro do pai.

As fotos são tão lindas que não sabia quais escolher. Festa cheia de amor, noivo com os olhos brilhando e um sorriso no rosto de dar orgulho! Resumindo..casamento lindo, lindo de viver!!!

Ah!! Já ia esquecendo um detalhe super importante! O sapato da noiva foi o mesmo que a mãe dela usou quando se casou, há trinta anos atrás!!! :’)

***

“Oi, Sammia!

Finalmente chegou a minha vez de compartilhar como foi meu casamento sem grana[bb]… e foi lindo!

Bom. Vamos começar do início. Conheci meu marido na Ong Presente de Alegria. Esta Ong não tem fins lucrativos e é uma espécie de Doutores da Alegria, a diferença é que não é necessário ser ator. As visitas ocorrem apenas 1 vez por mês e atendemos, além de hospitais, asilos, abrigos, casas de crianças com câncer e casas para deficientes mentais e físicos.

Conheci a ong através de uma amiga e me inscrevi. Para começar as visitas é necessário fazer uma oficina básica com alguns fundamentos das técnicas de Clown. E foi neste oficina, em outubro de 2009,  que eu conheci o André, mais conhecido como Dr. Xucrutix. Ele já fazia parte da ong e estava ajudando no curso. Neste dia nasceu a Dra. Petit. Ficamos amigos e, um tempo depois, começamos a namorar. E até hoje fazemos parte da ong. Isso é parte mega importante de nossas vidas. Nossas personalidades.

Depois de um ano e pouco de namoro, decidimos casar, em janeiro/11. Já falávamos nisso desde o início, mas a falta de grana não deixou que planejássemos antes. A princípio, nossa idéia era fazer um brunch num hotel, domingo de manhã, para no máximo 100 convidados. Nenhum dos dois ganha lá muito bem e não queríamos começar nossa vida juntos cheios de contas. Minha prioridade era que nossa casa fosse bonitinha e aconchegante, mesmo de aluguel.

Na mesma época, minha prima também estava nos preparativos de casamento e a família toda só falava nisso. Assim, minha mãe acabou ficando muuuito mais empolgada com o casamento e decidiu que nos ajudaria com a metade do valor do buffet. Ela tem uma imobiliária e, como sabem, o dinheiro só entra quando tem venda grande 😉 Antes de fecharmos com o hotel, ela pediu que esperássemos um pouco e começou a cotar buffets, coisa que eu já tinha feito. Me “enrolou” até julho, visitamos vários buffets e enfim encontramos o local perfeito, onde também seria realizada a cerimônia: Buffet Capricho – Mansão Cantareira, na Zona Norte de SP. O lugar é lindo, com espaço aberto, perfeito pra um domingo de sol, como eu sonhava. Na hora de fechar o contrato, ela deu os cheques e eu estava crente que pagaríamos por metade de tudo. Na volta, ela me diz que este seria o presente dela e do meu pai! Gente, vocês não podem imaginar a minha emoção. O buffet era sensacional, festa para 200 pessoas e ficou em torno de 12mil. O cardápio era uma delícia: coquetel e mesa de frios. Os doces e bolo estavam inclusos e era tudo uma delícia, sofisticado, mas simples, sabem? Não cabia em mim de felicidade. E ainda por cima estava incluso som e iluminação da festa!

O noivo e eu decidimos que pagaríamos pela decoração e contratamos a Flower’s Personal, empresa que faz a maioria das festas no buffet, conhece muito bem o local e, ainda por cima, foi mais barata que os outros fornecedores que cotei. A decoração ficou em 3 mil, pesado pra gente, mas pagamos em 6 vezes. Sabia que valeria a pena.

Minha mãe também nos ajudou com os bem-casados, que eram uma delícia, da Mania de Açúcar.

O vestido eu aluguei na Rua São Caetano, na loja Viva Noiva. Também foi caro, R$ 2.300 mas pensei: Eu sou chata, sempre quero as coisas do meu jeito, detesto bordados e babados e só vou me casar uma vez, então este vestido valerá a pena. E valeu, ficou exatamente como eu sonhava!

A roupa do noivo nós ganhamos um desconto na Maximu’s Rigor, num concurso aqui do Casando Sem Grana! Ficamos em segundo lugar e o noivo teve 50% de desconto na locação do traje e não poderia ter ficado mais lindo!!

A fotografia foi outra surpresa. Estava muito preocupada, porque queria ter fotos lindas, mas não tinha $$$ suficiente. Aí, duas de minhas melhores amigas e madrinhas simplesmente nos deram foto e vídeo de presente, com o querido e sensacional Cleiton Tibúrcio. Como podem ver, as fotos ficaram simplesmente PERFEITAS!

Os topinhos de bolo são da Santo Dia. Eu amei e foram os únicos que o noivo gostou, então fechamos e ficaram simplesmente sensacionais!!

Quanto ao buquê, eu estava completamente em  dúvida do que queria, até que vi um post em outro blog, o Para Falar de Casamento, um buquê de corações de feltro e me apaixonei. Comprei um pra mim e um pra jogar e acabamos ganhando a lapela do noivo. A Raquel, da Love for Sale, foi fantástica, as peças ficaram lindas e hoje somos até amigas!

Ganhamos a lua-de-mel de outra madrinha, uma pousada linda em Boiçucanga. Foi uma delícia.

As bebidas alcoólicas nós que iríamos comprar, não estavam inclusas no buffet. Então, apertamos o bolso e compramos cerveja e vinho branco frisante. Tivemos ajuda  de várias pessoas, padrinhos que ajudaram com $$$ ou simplesmente apareceram em casa com caixas de cerveja. Vendemos itens pessoais, um monte de gente do meu trabalho ajudou e conseguimos comprar todos os vinhos.

Tivemos ajuda da família e amigos também, que colocaram a mão na massa pra nos ajudar. Minha tia Elô fez o cabide do vestido, juntamos garrafas por meses e ela, minha mãe e minha tia Ana se reuniram num sábado pra pintar todas, depois de vermos o passo-a-passo aqui no blog também.  Meu amigo “Japa” me emprestou um espelho lindo e imenso pro meu “dia da noiva”, que foi na casa dos meus pais. Minha amiga Leidi Ani que me maquiou e meu tio Pedro fez o meu cabelo, da minha mãe e de uma madrinha, a Ana, que foi quem me levou pro buffet, no carro do meu pai, como eu queria!

A mãe do noivo nos deu suas alianças de casamento (ela é separada). Foi uma honra poder usá-las, são de ouro português, lindas. Só precisamos mandar a um ourives para ajustá-las e o pai de uma madrinha do noivo foi quem fez isso pra gente, sem custo algum. Apenas mandamos gravar os nomes no centro da cidade.

Quem realizou a cerimônia foi nosso amigo Ricardo Cabral, fundador da Ong que nos conhecemos. Sabe aquela pessoa que deveria ser palestrante? Ele fala super bem, é super simpático e querido e é a pessoa que nos ensinou a ver o amor de forma diferente, não apenas carnal e pela sua família e amigos, mas um amor global, nos ensinou a nos doarmos e olhar o mundo com olhos bons. Conhecê-lo mudou a minha forma de ver o mundo e não havia pessoa melhor do que ele pra um momento tão especial. Não chegamos nem a ensaiar a cerimônia, foi tudo improvisado (como aprendemos com ele) e, como não poderia faltar, casamos como palhaços também!

Nossas avós que iriam entrar com as alianças. Infelizmente, minha avó faleceu em maio/11. No lugar dela, e para representa-la e homenageá-la (já que ela estava TÃO feliz por ter essa função e já tinha contado pra família inteira), convidamos meu tio caçula, que morou com ela toda a vida e era seu maior companheiro. Só que, dessa vez, seria surpresa. E foi. A minha família ficou emocionadíssima ao vê-lo entrando com a vó Irma, a vó do marido.

E, como homenagem também, casei com o mesmo sapato que minha mãe casou, 30 anos atrás. Um lindo peep toe rosa ♥

Enfim. Todo mundo nos ajudou muito, até o grande dia, 22 de abril de 2012, e foi um dia sensacional. Foi simplesmente incrível.  As fotos mostram isso. Ficou tudo lindo, todo mundo elogiou a comida, as bebidas, a música (rock ‘n roll e anos 60, 70, 80 e 90), tudo.

O casamento todo foi muito emocionante e o melhor dia de nossas vidas. Tenho saudade de organizá-lo e de vive-lo. Eu estava em êxtase! E o melhor, e que é algo que a Sammia sempre fala, é que o nosso amor estava visível a todos. O mais importante é que a gente se ama e estava realizando um sonho. Eu casei com o melhor homem que eu já conheci na vida, e como eu disse no casório, casei com o homem que mais se parece com meu pai. Não preciso dizer mais nada, né?”

 

Ficha Técnica

Local, cerimônia, coquetel, doces e bolo – Buffet Capricho | Fotografia – Cleiton Tibúrcio | Decoração – Flower’s Personal | Vestido e véu – Viva Noiva | Terno do noivo – Maximu’s Rigor | Topo de Bolo – Santo dia | Buquês e lapela – Love for Sale | Cabide, garrafas, pratinho das alianças – Tia Elô (ela trabalha com isso, gente!) | Bem-casados – Mania de Açúcar

 

Beijos!

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d