Minha Casa Minha Vida [Parte 2] - Casando Sem Grana
Casa nova, Vida Nova REFERÊNCIAS

Minha Casa Minha Vida [Parte 2]

Olá! Vamos para a segunda parte da conversa? Bem explicadinho, passo a passo, não tem como não entender hein?

Vamos aos exemplos:

1º exemplo:

Suzana trabalha a um ano com carteira assinada e recebe R$1.200,00. Nasceu em 21/08/1989, está noiva há 6 meses e resolveu procurar um imóvel na planta para morar depois de casar, já que os planos dela são de casar daqui há uns 2 anos.

Seu noivo, Carlos,trabalha a mais de 3 anos com carteira assinada, recebe R$1.750,00 e tem R$8.000,00 de FGTS, e nasceu em 04/05/1984.

Acharam um apartamento na planta no valor de R$120.000,00. O corretor informou que a construtora pede 20% durante a obra, e financia 80%, ou seja, R$96.000,00.

No nome de quem é mais vantajoso efetuar a compra? É necessário juntar a renda?

Primeiramente, vamos fazer a simulação da Suzana:

Abra o site da Caixa (www.caixa.gov.br) Habitação  Simulador de financiamento.

Preenchemos a página inicial com os dados e depois clicamos em Avançar:

Clique na frase apontada pela setinha laranja.

Vai abrir a página com o resultado da simulação. Vamos analisá-la:

Vamos entender essa simulação.

Eu marquei o valor de financiamento que ela consegue fazer: R$47.058,82 + subsídio máximo de R$23.000,00, totalizando R$70.000,00.

OU SEJA, se ela quiser comprar um imóvel sem dar entrada na Caixa, ela terá que procurar um imóvel que a parcela financiada da construtora seja R$70.000,00.

Neste caso, se ela quiser comprar este imóvel somente com a renda dela, deverá dar uma entrada de R$25.941,18 à Caixa, além dos 20% que ela pagou à construtora.

A prestação fica R$359,99, exatamente 30% da renda dela, com taxa de juros de 5% a.a.

 

Agora o mesmo imóvel com a renda do Noivo:

Perceba que aqui eu marquei a opção de mais de 3 anos. Vamos entender qual a diferença aqui.

A simulação ficou o seguinte:

 

Percebam que os valores foram bem diferentes. Como ele tem uma renda maior, ele consegue um valor maior de financiamento (R$68.485,25), porém um subsídio um pouco inferior ao de Suzana, pois é proporcional à renda.

A entrada ficou em R$5.395,75, bem menor que a dela. Lembram que ele tem R$8.000,00 de FGTS? Ele pode usar este valor para pagar esta entrada e ainda sobra.

O valor da prestação fica em R$494,99, maior que a dela pois ele financiou quase a totalidade do valor do imóvel.

A diferença está na taxa de juros, que caiu para 4,5%. Ele recebeu este 0,5% de desconto na taxa de juros pois tem mais de 3 anos de FGTS. Acreditem, isso faz MUITA diferença.

RESULTADO:

Como eles são noivos sem grana, apesar da prestação mais alta, é mais vantajoso financiar com a renda do NOIVO, pois a prestação dela só é menor porque ela é obrigada a dar a entrada.

IMPORTANTÍSSIMO:

Todo imóvel comprado na planta sofre reajuste de valores ao longo da obra, o INCC. A média de reajuste anual é de 7%, portanto, atenção!!! Mesmo que não gere entrada no seu financiamento na simulação inicial, se a sua renda estiver muito justinha, você pode ter uma surpresa pouco agradável à frente. Explicarei melhor o INCC em post posterior.

 

2º exemplo.

José Guilherme acabou de se casar com Ana Lúcia. Estão pagando aluguel e passeando num domingo, descobriram um condomínio de casas prontas. Como já estão prontas, podem ser 100% financiadas pela Caixa.

A casa está avaliada em R$150.000,00.

Os dois são autônomos e movimentam conta corrente. José Guilherme comprova R$1500,00 através de extrato bancário e nasceu em 18/09/1979. Já Ana Lúcia comprova R$850,00 e nasceu em 26/12/1983.

Neste caso eles já são casados, então não tem pra onde correr: precisam somar as duas rendas (R$2350,00). Entra a idade do mais velho ( no caso, ele).

A simulação foi a seguinte:

Eles conseguem financiar R$92.593,49, precisam ter R$57.406,51 de entrada, o que eles não tem… Eles não vão conseguir financiar o imóvel.

“ – MAS MÁAAAARJORE, sua chata destruidora de sonhos de personagens imaginários, olha lá em cima! Tu só financiou 90%…”

Ta, vamos colocar 100% financiado então. Clica no botão ALTERAR, bem ali, do ladinho do subsídio.

Agora apaga o valor da entrada e coloca ZERO, e coloca 240 nos meses, como na imagem abaixo:

Clique em CALCULAR e…

PIOR AINDA!

“- Mas tá 100% financiado… Não entendi!”

Simples, amigas sem grana.

A quota de financiamento é definida em função do prazo de amortização:

  • Até 240 meses: até 100%
  • De241 a300 meses: até 90%
  • De301 a360 meses: até 80%

Só que, quanto menor o tempo, mais apertado pra pagar! Lembrem que a gente precisa de PRAZO, é a única variável que a gente pode mexer, já que a sua capacidade de pagamento é a mesma, não muda.

Ou seja, CADA CASO É UM CASO, e neste é mais vantajoso o prazo maior. Quando o cliente tem o valor de entrada para disponibilizar, se torna mais vantagem colocar em 240 meses, pois são menos 60 meses de financiamento.

 

***

O próximo post será todinho em cima das histórias reais e dúvidas de vocês!

Beijos ;D

assinatura_marjore_nova

 

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d