Casamento real e econômico | Natália e Amure - Casando Sem Grana
HISTÓRIAS REAIS RIO DE JANEIRO

Casamento real e econômico | Natália e Amure

Pense num casamento que era a CARA DOS NOIVOS.
Descolados, descontraídos e lindos juntos. Dez anos de relacionamento depois, a Natália decidiu celebrar a união dos dois da forma mais autêntica possível.

Muita mão na massa e muitos percausos depois, este casamento rendeu uma história linda!

“Oi meninas, tudo bem?

Estou enviando o relato do meu casamento já que a decisão de celebrá-lo veio depois de conhecer o CSG.

É que eu não estava animada pra fazer uma festa de casamento porque nunca me identifiquei com aquelas coisas tradicionais e glamourosas. Mas este ano eu e meu noivo (agora marido) completamos 10 anos juntos (5 anos de namoro, mais 5 anos morando juntos) e comecei a pesquisar o assunto pra festejarmos nossa união. Aí encontrei o CSG e vi uma postagem falando que num casamento a única coisa obrigatória são os noivos e amor. Me identifiquei tanto!!! Foi aí que resolvemos fazer uma celebração, mas do nosso jeito, pois queríamos um clima bem descontraído. E como disse meu noivo, tudo que dava pra fazer diferente do tradicional, eu fiz!! hahaha. Outra coisa que deixou o casamento com a nossa cara foi que a família e os amigos ajudaram muito nos preparativos. Vou contar um pouquinho disso:

Local e convites:Como festas passam rápido demais, resolvemos comemorar na Pousada Paraíso Açú, em Petrópolis, e passar o final de semana todo lá com os convidados mais íntimos. É bem longinho, pega até estrada de terra, mas é lindo demais!! Além de ter um preço muito honesto comparando com outros lugares. O convite fomos nós que fizemos: o noivo fez a arte gráfica, mandamos imprimir em papel-semente (você planta e nasce uma flor!) e comprei saquinhos de juta pra fazer de envelope.

Decoração:Decidimos fazer a cerimônia de manhã e ao ar livre. E descobri que isso representa grande economia na decoração, já que as luzes são umas das coisas mais caras. Oba! Aliás, minha decoradora é na verdade artista plástica e fez uma decoração toda rústica e cheia de artesanatos. Usamos vários objetos aqui da minha casa, e também da própria pousada – e até de uma das minhas damas, que emprestou suportes para os doces. Tudo isso deu um clima muito pessoal e aconchegante, bem como a gente queria.

Cerimônia diferente:Nossa celebrante foi a tia do meu marido, que tem um jeito todo especial de falar e discursar. E ela preparou um ritual baseado em cerimônias celtas. Não é porque eu fui a noiva não, mas foi a cerimônia mais linda que eu já vi!! Participaram da cerimônia não só nossos pais, como também o padrasto e madrasta do meu noivo, que são pessoas muitíssimo especiais e não poderiam ficar de fora (sim, tenho 2 sogros e 2 sogras). Em vez de casais de padrinhos e madrinhas, fizemos como em casamentos americanos: meu noivo escolheu 5 padrinhos (que entraram com quadros onde escreveram frases engraçadinhas), e eu escolhi 5 amigas para serem minhas damas-de-honra. Achei legal porque eles entraram individualmente, sem precisar formar casais. Nossos votos foram escritos por nós, mas eu tive uma surpresa: meu marido fez o dele em forma de música! Ele reescreveu a letra de Eduardo e Mônica, trocando a história deles pela nossa. Todo mundo riu e se emocionou muito, principalmente eu, claro. Como meu pai e meu sogro adoram discursos e são bons nisso, pedimos que eles fizessem algo para a ocasião. Eles prepararam textos tão bacanas (e longos) que acharam melhor resumir na cerimônia, e deixar pra discursar depois, na hora de cortar o bolo (aliás, foi mais um momento em que todo mundo se emocionou). Por fim, saímos da cerimônia com chuvas de palmas e também chuva de arroz, preparada por uma das minhas damas.

Alianças:Nossas alianças foram feitas pela minha cunhada, que estuda design e estava fazendo curso de ourives. Ficaram lindas e exatamente como a gente tinha desenhado!!

Trajes:Aliás, minha cunhada também me ajudou a montar meu visual todo, assim como minha sogra que mora longe e ajudou vendo as fotos que eu mandava. Eu queria algo mais simples, então fomos no shopping e encontramos um vestido branco, comum, mas que eu amei de paixão. O buquê eu mesma fiz com flores do cerrado, uma flor artesanal que minha amiga mandou de Brasília. Também fiz os buquês das damas e as flores de lapela do noivo e dos padrinhos. A roupa do noivo também ficou bem estilosa, principalmente com a boina que ele ganhou do amigo dois dias antes.

Lembranças: As bebidas foram providenciadas pela minha sogra, que não só escolheu as melhores opções como também comprou tudo e levou no dia. Ela também comprou umas pequenas garrafinhas de Moon pra darmos de lembrança aos convidados – junto com os brownies que foram feitos pelo meu marido, que entregamos no lugar dos bem-casados. Deu um trabalhão pra fazer, mas foi muito divertido, pois vários amigos nos ajudaram a embrulhá-los nos tecidinhos que eu havia comprado. Os brownies dele são famosos e o pessoal ficou louco quando viu!!!

Doces e bolo: Aliás, outra coisa louca foi a mesa de doces. Depois de cortarmos o bolo, os convidados pareciam uma nuvem de gafanhotos em cima da mesa!! Mas também pudera, os doces estavam deliciosos – e muitos foram caseiros, feitos pela minha mãe. Nosso topo de bolo eram uma foto minha e outra do digníssimo, colocadas de modo como se estivéssemos trocando olhares. Foi uma ideia que vi na internet e adorei!! Além de criativa, um tanto econômica, né? 🙂

Música: E em vez de pista de dança, pedimos ao meu sogro pra fazer um pocket show e minha vizinha emprestou as caixas de som. Ele é músico, e não é porque é meu sogro não, mas é um dos melhores que conheço. Pedimos algo curtinho, afinal a gente queria que ele curtisse o casamento, né? Mas acabou que o show foi incrível, todo mundo se animou e o que era pra ser pocket durou a tarde toda, com direito a palhinha do noivo e dos meus cunhados, que também cantam.

E um detalhe: no dia amanheceu chovendo e fez um friiiio danado. Eu já tinha visto na previsão do tempo, então avisei aos convidados pra irem bem agasalhados, e também comprei umas mantinhas pequenas pro pessoal usar, já que era ao ar livre. Mas no dia pensei: com esse tempinho, vai todo mundo dormir até tarde e perder a hora… afinal, meu casamento era longe pra caramba. Mas que nada, quando cheguei estava todo mundo lá!! Pra vocês terem uma ideia, tinha van saindo do Rio às 8h da manhã. Teve gente que veio de mais longe ainda, e acordou às 6h da manhã pra estar lá com a gente! Eu contava com um dia ensolarado, mas o frio e a chuva fizeram com que a gente se sentisse especialmente querido ao ver que ninguém deixou de ir.

Enfim, não teve igreja, juiz de paz, DJ nem várias outras coisas que as revistas dizem que “não podem faltar no seu casamento”. E por isso mesmo foi um dia muito único, tendo só o que era importante pra gente. O custo total foi de R$ 30 mil. Não é tããão barato como outros que vejo no site, mas teria custado o dobro disso se eu não tivesse a ajuda que tive! A gente se divertiu tanto que o pessoal deu a ideia de fazermos outra dessa pra comemorar os próximos 10 anos. :)”

casamento_descolado_economico (1)

casamento_descolado_economico (25)

casamento_descolado_economico (2)

casamento_descolado_economico (32)

casamento_descolado_economico (35)

casamento_descolado_economico (15)

casamento_descolado_economico (3)

casamento_descolado_economico (30)

casamento_descolado_economico (6)

casamento_descolado_economico (9)

casamento_descolado_economico (36)

casamento_descolado_economico (10)

casamento_descolado_economico (13)

casamento_descolado_economico (14)

casamento_descolado_economico (31)

casamento_descolado_economico (28)

casamento_descolado_economico (16)

casamento_descolado_economico (17)

casamento_descolado_economico (18)

casamento_descolado_economico (22)

casamento_descolado_economico (23)

casamento_descolado_economico (33)

casamento_descolado_economico (37)

casamento_descolado_economico (38)

Fornecedores
Local – Pousada Paraíso Açú | Decoração – Nathalia Moulin | Foto – Carla e Gustavo | Vídeo – Flávio Jobim Filmes | Bolo – Showcolate Artesanal | Doces – Lucia Sattler | O restante foi feito pelos amigos e família!

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d