Casamento real e econômico | Eveline e Rafael - Casando Sem Grana
HISTÓRIAS REAIS SÃO PAULO

Casamento real e econômico | Eveline e Rafael

Quem também ama mini wedding levanta a mão o/ o/ o/

Pra encerrar essa segunda-feira, não tão brava porque amanhã é feriado (e hoje já foi também pra muitos), trouxemos o relato da Eveline – Vê, pros mais íntimos. Ela e o Rafa resolveram que um casamento formal, todo pomposo na Igreja, não era a cara deles, e resolveram fazer uma cerimônia leve, para 60 convidados.

O resultado (muuuito positivo!) você confere aí embaixo:

 

“Olá, pessoal do CSG.
A batalha por um casamento econômico foi grande mas, posso dizer que venci!

Casei com o Rafa em uma manhã chuvosa de domingo, mas ainda assim posso dizer que foi uma manhã das mais lindas que já vi 🙂

Conheci meu marido quando tinha 14 anos, e ele 15. Ele morava em uma cidade próxima à minha e ficamos amigos. Nada aconteceu por muito tempo e pensei que nunca aconteceria, principalmente quando ele se mudou para São Paulo e depois para Milão! Achei que nunca mais iria vê-lo, mas ele voltou e sempre me procurou. Um dia, depois de quase 13 anos, acertamos o passo, e depois de 3 meses que eu havia pedido o Rafa em namoro, ele me pediu em casamento ♥ Eu aceitei, porque não haveria outra pessoa no mundo tão perfeita para mim quanto ele!

E agora? Organizar um casamento? Fazer festa? Casar na Igreja? Ou só comprar uma bicicleta para 2? rsrs

Depois de muita conversa, pesquisas e contas feitas, chegamos à conclusão que não queríamos um mega evento e que não casaríamos na Igreja. Assim, decidimos realizar um mini wedding para 60 convidados, num domingo de manhã e com tudo do modo mais original e com a nossa cara possível. Eu definitivamente estava odiando a frase: ‘você tem que fazer assim ou ter tal coisa, porque tem em todo casamento’.

Encontrei um salão que comportava exatamente meu numero de convidados sem parecer que era uma festa vazia. A Casa Nonsense foi um achado maravilhoso e, ainda por cima, era pertinho da minha casa, o que facilitou muito toda a organização. Com eles contratei o Espaço, Cerimonial, Buffet, Decoração, DJ e Fotografia. Isso fez o preço ficar perfeito!

Os convites foram uma batalha. O Rafa fez o design e mandei em uma gráfica no Mercado Novo (dica de vocês, muito obrigada!). Assim, imprimi 100 convites, com o envelope, fita e convitinhos, por cerca de R$ 300. Fiz e imprimi em uma gráfica perto de casa os menus, usando como base o convite. Saiu por cerca de R$ 30.

O buquê que usei foi de origami e feito pelo noivo. Ficou lindo, original e super leve! Além de bem barato, pois conseguimos os papéis em promoção. Como foi feito pelo noivo com todo amor e carinho, não quis joga-lo. Fui em uma floricultura na véspera do casamento e expliquei ao florista o que eu queria. Ele fez um buquê lindo, com flores rosas que combinavam com a decoração, me disse como guardar até o dia seguinte e me cobrou módicos R$ 25.

A maquiagem e o cabelo posso dizer que foi um parto. Não achava NADA que custasse menos de um rim. Depois de muito choro e drama, resolvi procurar a prima de uma amiga que sempre foi habilidosa com isso e tinha feito alguns cursos para investir nesse ramo. Fizemos um teste, ficou simples e básico – como eu queria – e por um preço perfeito, já que era a primeira noiva dela!

Na decoração usei algumas coisas da minha mãe e itens pessoais. Além disso, o salão já possuía algumas coisas bem retrô, que deixaram tudo com um clima bem diferente. Minha amiga e madrinha Patricia fez um lindo varal de corações que ajudou na decoração. A minha sogra, como costura, nos deu de presente os guardanapos; só comprei o tecido.

Os bem-casados viraram lembrancinhas lindas e paguei só um pouquinha a mais para que eles viessem em uma caixinha com fita. Tudo obra, graça e gostosura da Rachel, da Marié Doces Finos.

Não contratamos filmagem e não fizemos álbum. A fotógrafa me enviou o CD com todas as fotos tratadas e eu vou imprimir as que eu gostei para colocar em porta-retratos. Posso trocar quando quiser, e ainda enviei para todos os que pediram 😀

Tivemos apenas três casais de padrinhos, sem pagens ou daminhas. Fizemos nossos votos e contratamos um celebrante que fez um cerimônia linda, pois ele entendeu e-xa-ta-men-te como nós éramos e como funcionava nossa relação. Foi super pessoal!

No fim, o custo que havíamos estimado se cumpriu. Acho que a antecedência e a disposição para pesquisar, e ir juntando o dinheiro aos poucos, nos ajudou muito. Tive muitos contratos com preços atrativos por terem sido fechados com antecedência e pagos à vista. A experiência de organizar o casamento é um pouco difícil às vezes, mas, no meu caso, deu tudo tão certo no dia. Recebi tantos elogios que valeu cada irritação ao longo do processo. Queria casar outra vez – claro, com o mesmo marido! rsrs

Obrigada por todas as idéias e inspirações 🙂

Bjoks,
Evelini Fonseca”.

mini-wedding-eveline-e-rafael (1)

mini-wedding-eveline-e-rafael (2)

mini-wedding-eveline-e-rafael (3)

mini-wedding-eveline-e-rafael (4)

mini-wedding-eveline-e-rafael (5)

mini-wedding-eveline-e-rafael (6)

mini-wedding-eveline-e-rafael (7)

mini-wedding-eveline-e-rafael (8)

mini-wedding-eveline-e-rafael (9)

mini-wedding-eveline-e-rafael (10)

mini-wedding-eveline-e-rafael (11)

mini-wedding-eveline-e-rafael (12)

mini-wedding-eveline-e-rafael (13)

mini-wedding-eveline-e-rafael (14)

mini-wedding-eveline-e-rafael (15)

mini-wedding-eveline-e-rafael (16)

mini-wedding-eveline-e-rafael (17)

mini-wedding-eveline-e-rafael (18)

mini-wedding-eveline-e-rafael (19)

mini-wedding-eveline-e-rafael (20)

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d