Casa Nova Vida Nova | Compra de imóvel sem entrada é possível?
Casa nova, Vida Nova

Casa Nova Vida Nova | Compra de imóvel sem entrada é possível?

Pode surgir a dúvida se é possível a compra de imóvel sem entrada quando se pensa na compra de uma casa ou apartamento – a não ser, é claro, que você tenha dinheiro para pagar o valor total à vista. Porém, nem sempre temos tanta “bala na agulha”, não é mesmo? Adiantamos: é possível, sim, mas não é tão fácil.

Para começar, essa possibilidade vale apenas para o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), do Governo Federal. Então, precisamos explicar brevemente sobre ele, para você verificar se pode se enquadrar no programa e, só depois, saber se pode comprar um imóvel sem entrada. Daremos exemplos bem práticos nessa etapa para não deixar dúvidas!

Os requisitos para participar do Minha Casa Minha Vida

O MCMV é um programa que permite, de forma facilitada, a compra do primeiro imóvel (em área urbana ou rural), na planta, novo (em lançamento) ou em construção, para quem tem renda familiar bruta de até R$ 6,5 mil mensais. E, é claro, deve ser residencial e comprado para moradia da família.

Os benefícios são as menores taxas de juros e o subsídio parcial (abatimento) do valor do imóvel, feito pelo governo, e, em raros casos, nenhum pagamento de entrada. O valor do subsídio depende do valor do imóvel, da região em que ele está situado e da renda familiar.

Para poder participar do MCMV, é preciso que a renda familiar mensal se enquadre nas seguintes faixas: Faixa 1 (até R$ 1.800,00); Faixa 1,5 (até R$ 2.350,00); Faixa 2 (até R$ 3.600,00); Faixa 3 (até R$ 6.500,00). Cada faixa tem certos benefícios, que você pode conferir no site do MCMV.

Além dos limites de renda, segundo o site, você não pode:

  • Ser dono ou ter financiamento de imóvel residencial;
  • Ter recebido benefício de outro programa habitacional do governo federal;
  • Estar cadastrado no Sistema Integrado de Administração de Carteiras Imobiliárias (SIACI) e/ou Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT);
  • Ter débitos com o governo federal.

Outro fator que é considerado pelo programa é o valor do imóvel conforme o número de habitantes da cidade (você pode conferir as condições para a sua cidade no simulador da Caixa, que abordaremos no tópico seguinte).

Depois de se cadastrar na prefeitura da cidade para tentar receber o benefício, há o sorteio do programa – só depois de sorteado é possível fazer o financiamento.

E então, como fazer para não pagar entrada?

Não há uma informação oficial, exposta facilmente pelo governo ou da Caixa, sobre como é possível financiar sem entrada. Mas fizemos algumas simulações no site da Caixa e descobrimos que apenas as famílias de baixa renda têm essa opção.

Além disso, ter 3 anos ou mais de trabalho no regime do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) facilita as possibilidades de não haver entrada. Isso não quer dizer que você vai utilizar o valor do FGTS, mas o governo dá mais benefícios se existir esse recurso.

Por exemplo, uma família que tem renda mensal bruta de R$ 1,8 mil, o responsável pelo financiamento não somou 3 anos de trabalho no FGTS, e deseja financiar um imóvel no valor de R$ 70 mil em São Paulo (capital), não precisará pagar entrada, terá prazo máximo de 360 meses para pagar e subsídio de R$ 16,5 mil do governo (restando R$ 53,5 mil para o financiamento).

Porém, se essa mesma família financiar um imóvel que custa R$ 90 mil, terá uma entrada no valor de R$ 1.861,68, com subsídio de R$ 16,5 mil do governo. Se o responsável pelo financiamento tivesse 3 anos ou mais trabalhados no FGTS, entretanto, não pagaria entrada – embora o valor das parcelas aumentasse. Ou seja, nesse caso, não foi o valor do imóvel que fez com que houvesse entrada, mas, sim, não poder usar a opção do FGTS.

Usando ainda a mesma família, mas, dessa vez, com 3 anos trabalhados no FGTS e com financiamento de um imóvel no valor de R$ 110 mil: ela deve dar entrada de R$ 17.820,92 (mesmo com o subsídio de R$ 16,5 mil do governo). Agora, sim, o valor do imóvel fez com que houvesse entrada. Mas ainda é melhor que os R$ 22.055,03 de entrada que ela pagaria caso o responsável pelo financiamento não tivesse os 3 anos de FGTS.

Outra coisa que pode afetar o cálculo é o fato das prestações do Minha Casa, Minha Vida não poderem ultrapassar 30% do valor da renda bruta familiar. Então, em alguns casos, a família deve pagar a entrada para as prestações não serem maiores que essa porcentagem.

Só um último exemplo; agora, considerando uma família que recebe no total R$ 3 mil por mês que pretende financiar o imóvel de R$ 70 mil na cidade de São Paulo (o mesmo do 1º exemplo da família que recebe R$ 1,8 mil por mês).

Então, essa família tem de pagar uma entrada de R$ 4.391, com subsídio de R$ 2.609 do governo – enquanto a que tem renda de R$ 1,8 mil não paga nada de entrada e tem subsídio de R$ 16,5 mil. Nesse caso, o responsável pelo financiamento ter ou não os 3 anos de trabalho no FGTS não influenciou o valor de entrada. E quanto maior a renda, mais entrada deve pagar.

Ou seja, não ter entrada no financiamento é para quem tem baixa renda familiar, ter acumulado 3 anos ou mais de trabalho no FGTS e, também, do valor do imóvel.

Então, a melhor forma de você saber se pagará entrada, é fazer a simulação no site da Caixa:

www.caixa.gov.br/voce/habitacao/Paginas/default.aspx

Se não pagar entrada não é possível para você, há a opção do uso do FGTS!

Caso tenha de pagar entrada, mesmo, mas não tenha dinheiro para isso, e possui ao menos 3 anos de trabalho sob o regime do FGTS, somando todos os períodos trabalhados, você pode usar o valor do seu FGTS para abater ou zerar a entrada dessa forma.

Consulte seu saldo no sistema da Caixa (http://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/fgts/Paginas/default.aspx), fazendo o login ou cadastrando-se com seu número do PIS, e verifique se você tem essa opção. Com o valor disponível no FGTS, também é possível diminuir em até 80% o valor das prestações em até 12 meses consecutivos.

Possibilidades de diminuir ou zerar a entrada postas à mesa, agora é hora de analisar o seu caso e planejar-se para comprar sua casa ou apartamento dos sonhos – ou que cabe no seu bolso, né?

Aproveite e pesquise no VivaReal os imóveis à venda em sua cidade para escolher aquele que tem tudo a ver com você, dentro da faixa de preço que preferir! 🙂

Até a próxima!

Capa: Shutterstock

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d