PERNAMBUCO

História real | O noivado da Hyngrid e do Túlio

A história real do noivado de hoje veio de Pernambuco! A Hyngrid e o Túlio se conheceram na faculdade (ele com 18 e ela com 20 aninhos!) e o Túlio jurou que só namoraria com quem ele fosse se casar! E não é que o pedido veio? E junto com ele uma festa muito fofa para 140 pessoas com direito a pedido com banda, bebida favorita, família e tudo o mais o que eles tinham direito…


“Olá meninas do CSG! Estou super feliz em poder contar nossa história para vocês 😀
Bem primeiro vou começar em como nos conhecemos e o sobre o nosso noivado.

Eu e o Túlio nos conhecemos na faculdade em Olinda no ano de 2009. Eu fazia ADM e ele contábeis, porém no primeiro período, por termos cadeiras parecidas, ficamos na mesma sala e logo nos primeiros dias de aula quando ele entrou na sala com aquele jeitão todo estabanado e sempre atrasado dele, aquele carinha super alto (ele tem uns 1,93), eu me encantei. Sinceramente não sei o que foi, mas foi meio que paixão platônica, rsrs.

Depois de alguns meses, em agosto de 2009, a nossa professora faltou e uma amiga em comum da sala que tinha contato com todo mundo inclusive com ele, chamou a mim e a minha melhor amiga – hoje nossa madrinha, Vanessa – para irmos para um barzinho e lá fomos nós. Chegando no barzinho sentei logo do lado dele, mas ninguém sabia da minha paixão platônica, nem a minha melhor amiga! rsrsrs. Conversa vai, conversa vem, ele acariciou a minha perna tipo do nada e eu congelei! Na hora de irmos embora pegamos o mesmo ônibus por morarmos perto e ele ficou comigo no ponto de ônibus. Passamos um ano e dois meses no fica e não fica. Podem acreditar: foi esse tempo mesmo. Mas nenhum dos dois namoraram nesse intervalo grande de tempo.

Eu queria namorar, mas ele que só tinha 18 anos e eu 20, nunca tinha namorado na vida e me disse com todas as letras: “SÓ VOU NAMORAR QUANDO EU TIVER CERTEZA DE QUE VOU CASAR COM AQUELA PESSOA!”. Eu quase infarto e pensei – Esse cara tem que ser meu. Afinal, faltam homens sinceros no mundo, rsrsrs. Depois desses um ano e dois meses veio o pedido de namoro mais nervoso do mundo e assim foi até o dia 14 de fevereiro de 2015.

Tínhamos planejado passar o carnaval em Campos do Jordão com minha prima e sua família e pasmem: ele tinha planejado tudo. No primeiro dia que chegamos estávamos mortos. Quando foi a tarde, fomos descansar no hotel e quando acordei ele já não estava no quarto. Minha prima falou que ele tinha ido na farmácia com seu esposo, mas que era para nos arrumarmos para jantar e eu deveria estar linda. Não me importei muito, coloquei um vestidinho e lá fomos jantar. Ao chegar no restaurante que ele e o marido da minha prima tinham procurado (depois fiquei sabendo que por horas eles procuraram um restaurante onde ele pudesse tocar e cantar para mim – sim ele iria fazer isso – e infelizmente os restaurantes de lá não aceitam isso), eles acharam um onde os músicos aceitaram cantar nossa música. Sentamos e assim que pedimos a comida, ele e o mais uma vez o maluco do marido da minha prima, foram no banheiro com o nosso afilhado. Eu sem perceber nada comecei a estranhar (minha prima percebendo minha desconfiança começou a me enrolar tirando fotos).

Quando ele volta para a mesa o garçom trouxe a comida e junto dois Medio y Medio, um meio espumante e meio vinho branco. Fiquei sem saber o que fazer e foi quando ele me falou um monte de coisas e sinceramente eu só lembro dele falando “Amor você aceita casar comigo?” Eu quase morro! Os músicos começaram a cantar nossa música: “Pra você guardei o amor” e ele puxou do bolso a caixinha do anel de noivado…

Eu quase morro! o pessoal do restaurante batendo palmas, gente na rua parando para olhar e eu morta de vergonha, com os olhos cheio de lágrimas. Foi lindo, único e ao lado de um casal que amamos muito. Depois desse dia, quando chegamos em Recife, minha vida virou de noiva louca. Queríamos uma festa de noivado, mas que só poderia ser feita depois de setembro, quando tínhamos uma prova para fazer e nisso eu pirei mais ainda, porque além de estudar e trabalhar eu tinha uma festa para organizar e mulher pira fácil com essas coisas. Fiz o máximo que pude, inclusive a decoração. Tive ajuda da minha prima e tia no dia para decorar (elas tem uma empresa de decoração de festas em São Paulo), minha mãe foi um anjo que sempre esteve ao meu lado aguentando minhas loucuras (três meses antes da festa perdi o emprego), mas no fim deu tudo certo.

Ele fez uma surpresa linda para mim. Pediu para que os nossos amigos em comum, padrinhos e familiares fizessem um vídeo falando um pouco de nós e eu claro me acabei de chorar. Foi lindo e digo para todas, foi trabalhoso, mas foi gratificante no final de tudo. Nossa festa foi para 140 pessoas. Aproveitamos para convidar os padrinhos e foi tudo com nossa cara, do nosso jeito.”

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Noivado econômico em Pernambuco Casando sem Grana

Fornecedores

Local – Clube de Campo Sítio do Pica Pau Amarelo em Paulista/PE | Doces – Doce Bolinha | Bem Casados – Açúcar e Afeto | Móveis Rústicos – Minifly | Chopp – André Luiz (Chopp Brahma) | Canecas de Chopp – Issana Brindes | Taças noivas, madrinhas – Issana Brindes | Decoração – 3 Marias Festas Personalizadas | Buque e Tiara de Flores – Canga Fulo | Fotografo – Rodrigo Cavalcanti Fotografia


[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d