Início » Casamento real e econômico | Ilma e Sílvio

Casamento real e econômico | Ilma e Sílvio

Noiva entrando

O casamento real e econômico desta segunda-feira é da Ilma e do Sílvio e foi realizado em Araucária – PR. Eles tinham 2 meses e meio para preparar todo o casamento e conseguiram. Foi bem no estilo DIY, ela fez o buquê, os convites e as lembrancinhas.
Foi um casamento no campo lindíssimo, do jeito que a Ilma sempre sonhou.
Quer saber como foi tudo isso?! Vem ver! 

“Sempre acompanhei e me espelhei no blog pra fazer o meu casamento e finalmente chegou a vez do meu relato 😀

Meu agora marido e eu namoramos durante 8 anos, sempre planejamos nos casar e ano passado noivamos (a demora foi por vários motivos). Nós começamos a namorar cedo quando ainda estávamos no colegial, começamos a faculdade juntos e depois resolvemos abrir uma empresa e essas coisas foram adiando os planos. Até que esse ano, quando conseguimos tudo que queríamos conquistar antes de casar, resolvemos que era a hora. Decidimos que aconteceria em uns 3 meses. Sim, resolvemos todos os preparativos em 2 meses e meio.

Como nós tínhamos recém aberto a empresa, decidimos que ele cuidaria da empresa e eu me dediquei só ao casamento, foi praticamente um DIY pra economizar. Fiz muitas coisas sozinha e algumas com a ajuda da família. Não querendo me gabar, mas amei o resultado. Ficou a nossa cara, do jeitinho que eu sonhei!

O meu sonho sempre foi casar no campo, mas de um jeito diferente e romântico. Como eu já pesquisava a algum tempo, tinha em mente tudo como eu queria. Me inspirei em blogs, sites e ferramentas como Pinterest, que me ajudaram muito.

Os convites de casamento eu usei como ideia um post que vi aqui no blog que usavam doilies e eu mesma os fiz, tive apenas o custo de impressão da gráfica. Ficou bem simples, mas muita gente se encantou com a delicadeza e o charme do doilie, o que pra mim já valeu.

As lembrancinhas também foram feitas por mim: potinhos com balas de goma de coração. Optei por essa lembrança pois ao todo saía mais em conta do que tudo que eu tinha pensado e cotado. A ideia original era brigadeiro no potinho, mas achei que daria bem mais trabalho. As crianças adoraram!

O bolo era a única coisa que eu sabia desde o começo como eu queria, que era o naked cake! Como meu casamento foi no campo, não tinha cristão que me tirasse da cabeça o tal bolo pelado com frutas vermelhas e flores. O bolo não fui eu que fiz, preferi pegar o bolo e os doces a parte. Até porque eu não conseguiria dar conta de tudo. E a moça que fazia o bolo e os doces era a minha cerimonialista e faz tudo! Ela fez banoffi no copinho (que foi o sucesso do casamento).

A decoração também foi feita por essa cerimonialista, porém, eu fiz muita coisa. Desde os arranjos de mesa, plaquinhas de sinalização, quadro negro na entrada, até aquelas bolas de papel coloridas pro painel de fotos. Deu muito trabalho, mas valeu a pena cada detalhe. Os arranjos de mesa fiz com garrafas de bebida que peguei no bar de um tio e vidros de conserva que foi uma verdadeira caça ao tesouro. Levei sorte que grande parte dos vidros um tio do meu marido tinha para fazer conserva. Sim, mal entrei pra família e já dei prejuízo!

As flores foram rosas e flores do campo. Não usei uma cor específica pra decoração, fiz tudo colorido e remetendo a tons pastéis. As plaquinhas, um amigo do meu padrasto as fez e eu mesma escrevi e pintei. No corredor eu substitui as flores por coraçõezinhos coloridos de papel (que eu também fiz).

Carro de entrada da noiva – Era pra ser o fusca do meu padrasto (que é meu carro de paixão). Porém, na semana do casamento, o carro estragou. Fiquei sem o fusca, mas não foi um problema, conseguimos um carro lindo pro dia. No fim, nem lembramos de tirar foto com o carro, porque antes de entrar na chácara do evento o cavalheiro me esperava com a charrete. Sim, cheguei de charrete!

Buquê – Confesso que essa foi a parte mais difícil e mais gratificante pra mim. Desde o começo eu sabia mais ou menos como queria o meu buquê. E sabia que uma coisa não poderia faltar:  Suculenta! O problema é que eu nunca tinha feito um. E não fazia ideia se ficaria bom, e pior, não sabia quanto ele duraria. Peguei as flores um dia antes do casamento, mantive na água até a manhã do casamento e de manhã comecei a montá-lo. Levei um tempo, mas o resultado ficou lindo. Principalmente nas fotos! Recebi muitos elogios pela originalidade do buquê.

O contra do buquê – Como eu nunca tinha feito um, prendi ele bem, mas como foi feito com suculenta, rosas, mosquitinhos e hortências, achei que na hora de jogar ele seria um problema. Mas como eu já tinha isso em mente alguns dias antes, resolvi fazer corações de feltro com fitas coloridas amarradas com mensagens escritas nas fitas em cada coração, deixando apenas um com a mensagem pra sortuda que levaria o oficial. Fiz cada uma ler o seu lá na frente, o que tornou a brincadeira ainda mais divertida.

Buffet – Eu procurei um restaurante que servisse o Buffet e que tivesse um ambiente bacana pra fazer a cerimônia ao ar livre, que me economizasse o transtorno de locomoção de um lugar pra outro e que me proporcionasse uma segunda opção pro plano B – chuva! Deu certo numa chácara onde o preço não foi dos melhores, mas eu não podia fazer muito devido ao tempo reduzido que eu tive pra escolher.

Dia da noiva – Eu acho meio frescura, mas respeito quem pensa diferente. Até me ofereceram de presente, porém era muito longe de onde seria meu casamento (seria longe por ser chácara). Então optei pelo seguinte: pé, mão e depilação um dia antes no meu salão de bairro. Sim, compensa muito! Cabelo e maquiagem fiz em outro lugar mais próximo do cartório, porque meu casamento no civil ficou marcado pro mesmo dia do religioso.

Vestido de noiva – Meu vestido foi um achado dos céus! A irmã da amiga da minha irmã tinha o vestido dela guardado porque foi a avó dela que o fez. Ela me alugou por um valor simbólico e me permitiu ajustá-lo e eu amei ele assim que o vi. Nem quis procurar outro.

O Pergolado – Uma coisa que eu queria e não tinha coragem de gastar era com a pérgola. Mas meu padrasto pra me ver feliz conversou com um amigo dele que tinha as madeiras pra montar uma. Fomos nós 3 uns dias antes do casamento montar na chácara e até que ficou legal.

O Grande dia Bom, não foi muito difícil organizar tudo. Eu sabia exatamente o que queria, poucas coisas saíram diferente do planejado, o estresse pré casamento rolou, mas nada que uns calmantes não resolvessem, algumas coisas eu achei que sairiam do meu controle e então entreguei nas mãos de Deus e deu tudo certo.

O meu sonho sempre foi casar ao ar livre no entardecer e o meu maior medo era o tempo. O mês todo do meu casamento fez sol e um calor insuportável. Na semana do casamento começou a fechar o tempo com pancadas de chuva. Meu casamento era no sábado, e na segunda-feira anterior eu já estava de olho na previsão, que dizia que começaria a chover na quarta e iria até domingo, com previsão de temporal pra sábado! PENSE. A chuva atrasou e começou na quinta, na sexta fez sol e começou a chover a noite, mas choveu a noite inteira!

Acordei no sábado 6:30 da manhã com um temporal. Já acordei chorando. Eu tinha salão marcado pra 8 horas da manhã e fui pro salão chorando. Eu orei meses pra que não chovesse no meu casamento. No dia confesso que me desesperei de tanto que choveu. Pensei comigo, meu Deus mesmo que pare essa chuva, que parece que vai levar um mês pra passar, a chácara vai estar um banhado. Quando cheguei no salão vi que tava começando a abrir o tempo. O pessoal que estava montando tudo me ligou as 11 horas (a essa hora a chuva tinha parado, mas estava bem fechado o tempo)  pra avisar que montaria dentro do restaurante porque o dia estava feio e pelo tanto que tinha chovido poderia voltar a chover a qualquer momento. Eu bati o pé e disse que queria fora e iria arriscar, foi por Deus! Não choveu mais. O dia todo o tempo ficou agradável, estava nublado, mas não choveu e não tava aquele sol escaldante. No final da cerimônia, na hora das fotos, Deus nos presenteou com um por do sol maravilhoso. Foi uma festa pra 150 convidados que saíram encantados e elogiaram por dias o casamento.

Contratei poucos profissionais, a chácara já servia o Buffet e a charrete, já disponibilizava quase tudo. A cerimonialista foi uma mão na roda, uma mulher Bombril, mil e uma utilidades. Ela fez toda a parte da decoração que eu não fiz, a mesa de doces, os doces, o bolo, o local da cerimônia a confirmação e recepção do pessoal e etc. E fotógrafos e cinegrafista que não podem faltar.”

Beijos!

Quadro escrito: "Bem vindo ao casamento Ilma e Sílvio

Detalhes da decoração. Corações de papel com palitos de churrasco

Garrafinhas pintadas

Detalhes da garrafinha, azul, rosa e branco

Garrafinhas cheias de água com flores dentro

Docinhos

Lembrancinhas

Bolo Naked Cake com frutas vermelhas e flores

Topo de bolo, dois passarinhos e um coração no meio

Noivo entrando

Noivo no altar

Daminha e pajem entrando

Pajem com as alianças

Noiva chegando de charrete

Noiva chegando de charrete

Noiva entrando

Noiva entrando

casamento-real-economico-ilma-silvio-araucaria-parana-casando-sem-grana (22)

Noivos no altar

Noiva com microfone na mão falando seus votos

fornecedores

Cerimonialista: Marcia Camargo | Buffet e espaço: Chacára Dom Henrique | Fotógrafia: Carlos Polly e Thays Rosa

 

Sobre o Autor

Equipe CSG

Rede Casando sem Grana

Buscar Fornecedor