Início » Guia | Como conciliar o casamento com a casa nova

Guia | Como conciliar o casamento com a casa nova

Histórias de casa

Vem o pedido de casamento e 5 minutos depois você já tem milhões de idéias e dúvidas na cabeça. Vai para o computador pesquisar vestido, buffet, docinho e…esquece até do orçamento. Em algum momento você vai se lembrar de que se casar não é só isso. Vai se lembrar que precisa saber urgentemente como conciliar o casamento com a casa nova! E como fazer isso? O post de hoje é uma reflexão a respeito.

Qual a equação matemática por detrás?

Eu a aprendi com a Carolina Ruhman Sandler, fundadora do site Finanças Femininas, e já a apresentei aqui no post de “Por onde começar a organizar seu casamento [ Método Finanças ]“. Não é uma regra, mas uma ótima bússola de como organizar os ganhos do casal para os objetivos futuros. Começa assim:

  1. Quanto cada um ganha?
  2. Além do salário tem algum dinheiro a mais guardado que desejam usar?
  3. Quanto tem de despesas fixas (faculdade, academia, prestações, saúde etc)?
  4. Quanto gastam, em média, com variáveis (saídas com os amigos, alimentação na rua, remédios etc)?

É hora de anotar tudo isso e acompanhar SEMPRE! Depois de feitas as anotações, preste atenção nessa sugestão de divisão de gastos:
Regra dos 50, 30 e 20 da economia

Se vocês já moram juntos e querem oficializar a união, precisam, o quanto antes, caminhar por um conceito de organização financeira. Se só dividirão teto depois do casamento, é bom sentar para conversar sobre o assunto para entender como cada um aprendeu a lidar com dinheiro e como imagina que será lidar com ele depois de casados. Acredite: uma porcentagem enorme de divórcios se dá por conta de dinheiro.

Independente se já moram ou vão morar juntos no futuro, o casamento entrará no meio da sua rotina financeira e eu o classifico como um projeto futuro, desses tantos que as pessoas tem na vida como: ter filhos, comprar casa, carro etc. Se eu enxergo dessa forma podemos dizer que ele estaria dentro dos tais 20% destinados a investimentos futuros, certo? Sendo assim, você pode reorganizar suas finanças de algumas formas para destinar verba para o casamento. Por exemplo:

50% dos nossos ganhos vão para as contas

20% para o lazer

10% para investimento

Estamos destinando 20% para o casamento

ou

40% para as contas

15% para o lazer

10% investimento

Estamos destinando 35% para o casamento

Mas essas são suposições e você não pode dizer agora qual é a melhor pra você sem antes analisar os gastos e saber onde pode enxugar um pouco esse orçamento. Pode diminuir o plano do celular, os cigarros, as saídas nos fins de semana, trocar o plano da academia para um mais simples, cancelar tudo o que você se engana em dizer que ainda precisa É um pequeno sacrifício sim, não vou mentir. Mas se é seu sonho, tenha foco.

O mais importante de tudo é não destruir a estrutura do 50-30-20  porque cada parte dessa fração é importante na vida. Trabalhar só para pagar contas e poupar é uma droga. Deixar de pagar as contas para se divertir e não poupar nada, é a maior imprudência do mundo! Pagar contas e se divertir sem poupar é viver um dia de cada vez sem garantir tranquilidade para o futuro. Pense nisso.

Prioridades

Agora lá vem elas, essas danadas! Tenho falado muito sobre elas por que são elas que definem tudo em nossa vida, não só o casamento. Conciliar o novo imóvel com a festa de casamento, quando o casal tem restrições financeiras, é um trabalho para a balança de prioridades.

Como conciliar o casamento com a casa nova

Sua balança pode tender mais para a festa do casamento ou mais para a casa nova. Ou ainda fazer  o equilíbrio entre esses dois objetivos. A decisão é sua, sempre, e todas elas tem prós e contras. O aprendizado aqui é:

Precisamos aprender urgentemente sobre nossas responsabilidades e limitações. Não importa o tamanho do sonho – SEU sonho, aliás, grave isso – você não pode culpar ou transferir a responsabilidade sobre eles para os outros. Não fique esperando cair do céu os recursos necessários e nem tampouco que as promessas de ajuda dos seus pais, de outros familiares e amigos, se realizem. Saiba BEM até onde seu braço alcança e trabalhe com isso.

Não há formula mágica para ajudar no equilíbrio, mas há dicas que ajudam.

Dicas para equilibrar a balança

Se a minha prioridade é o casamento

Como conciliar o casamento com a casa nova

Mais do que você ganha e/ou tem guardado vai para a festa. Para economizar com a casa você pode morar de aluguel ou até dividir o teto com pais ou sogros. Mesmo assim, preste atenção nos gastos e contratempos dessa decisão.

Aluguel

  1. Três meses de seguro fiança (que se renova todo ano) ou depósito de três meses de aluguel (fiador eu nem cito pois envolve um terceiro e as regras/exigências são extensas e raramente se aplicam a nossa realidade);
  2. Papelada: correria com comprovação de renda, impressões, cartório, etc.;
  3. Pequenas reformas: pintura, consertos, troca de torneiras, chuveiro, iluminação, etc.;
  4. Preço do aluguel: quanto mais bem localizado, mais caro;
  5. Custos da moradia: além dos fixos (aluguel, condomínio, etc), variáveis (água, luz, gás, telefone, etc).

Casa compartilhada

  1. Pouca privacidade e liberdade para o novo casal. Tudo o que está na casa não é seu e vocês começam uma jornada compartilhada com outras pessoas;
  2. Pequenas reformas;
  3. Custos da moradia (existem, mesmo quando divididos com mais pessoas).

A vantagem é que com disciplina existe a possibilidade de mais recursos para o casamento e, claro, para a compra futura de um imóvel. Porem é preciso lembrar que estes gastos  do aluguel ou da casa compartilhada começam pouco antes da data do casamento e vão acompanhar o orçamento da festa na reta final.

Se a minha  prioridade é a casa nova

Como conciliar o casamento com a casa nova

Sempre foi a minha também pois entendo que a festa é linda, mas passa rápido demais para que eu negligencie meu futuro em troca dela. Nesse caso, além do aluguel, o casal consegue alinhar melhor as finanças para a compra do imóvel. Mas como todas as decisões da vida tem prós e contras, pense neles:

Dedicando-me mais ao imóvel

  • Posso financiá-lo, mas devo saber que: haverá burocracia, um período de aguardo da aprovação, uma entrada (geralmente alta e parcelada em poucas vezes), parcelas que vão acompanhá-los por muitos e muitos anos, custo da reforma, compra dos móveis, eletrodomésticos, etc etc;
  • Talvez o quanto vocês possam pagar não os ajude a adquirir um imóvel na região que desejam;
  • Em contra partida vocês terão uma casa do jeitinho que sonham. Tudo terá a cara de vocês e isso – acredite – é impagável e emocionante;
  • Com menos recursos extras, o casamento tenderá a ser mais simples. Menos convidados, algo pequeno e íntimo e com menos firulas. É muito comum rolar um almoço em família, no salão de um prédio, por exemplo,  depois do civil no cartório.
  • Ou ainda, sonhando com algo maior, com direito a tudo, será necessário continuar poupando para lá na frente realizá-lo.

Se os dois são minha prioridade

Como conciliar o casamento com a casa nova

Você precisa ser um pouco ninja para conciliar tudo direitinho em sua vida, mas é perfeitamente possível. Basta começar organizando seu dinheiro:

  1. Você tem dívidas? Pague-as primeiro! Ligue para os credores e negocie. Estabilize seus ganhos;
  2. O(a) parceiro(a) também deve fazer o mesmo;
  3. Façam as contas sugeridas no início do texto e bolem truques para mantê-los dentro das metas financeiras.

Ainda assim, eu aconselho que daqui em diante pense sempre assim: “Como eu posso simplificar ainda mais isso que estou fazendo?”. Se você conseguir lembrar dessa frase todas as vezes que pensar em investir dinheiro em algo, vai acabar economizar bem mais do que o previsto!

Estamos no Brasil e, verdade seja dita, é puxado fazer as coisas às pressas aqui, justamente pela grana envolvida. Resolver casar rapidamente e ainda comprar/alugar casa, não é fácil. Depende não só de contas, mas das prioridades, como falei acima. Se você tiver paciência para organizar suas contas e passar alguns anos com as rédeas curtas para os gastos, você consegue!

***

Eu avisei que era reflexão, lembra? A resposta está em você e no seu par. Conversem bastante a respeito. Não deixem de falar sobre dinheiro, sonhos e limitações. Essa etapa, inclusive, nos revela BEM com quem estamos nos casando e se é mesmo o passo certo a dar. Revela bem também quem somos e nosso nível de maturidade diante das dificuldades da vida e o da paciência em aguardar o momento certo de planejar e o de agir.

Beijos e muito boa sorte!

Imagem de capa: Histórias de Casa | Demais imagens: Shutterstock

Sobre o Autor

Sammia

Newsletter

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Rede Casando sem Grana

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d