Início » Relatos reais | O casamento da Sarah e do Érico

Relatos reais | O casamento da Sarah e do Érico

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

Hoje não tem relato de casamento e sim de “COISAmento“! Isso mesmo: A Sarah e o Érico ao invés de se chamarem de namorados, lá no início, apelidaram-se de “coisa” e daí veio o nome engraçado desse casamento que, pelas minhas contas, ficou super econômico e liiiiindo de viver (como todos os que tem chego por aqui no site). Mas vamos deixar que a Sarah nos conte mais de cada detalhe…

“Nos conhecemos em fevereiro de 2009, na faculdade, e só assumimos o namoro em 20/12 do mesmo ano; por conta disso, nunca nos chamávamos de namorados, e sim de “coisa” (é nosso apelido até hoje). Daí saiu a ideia do COISAmento!

Ele me pediu em casamento no nosso aniversário de 5 anos de namoro, e nos casamos exatamente um ano depois. Menos datas pra lembrar e menos contas pra fazer rs. Tínhamos algumas dificuldades no caminho:
1. eu estava no último ano da faculdade, e iria entregar meu trabalho de conclusão 15 dias antes do casório. Precisava ser simples.
2. não temos religião, e o custo de levar o juiz de paz era muito alto, então teríamos que escrever nossa própria cerimônia.
3. não tínhamos dinheiro HAHAHAHA

Resolvemos fazer uma festa pequena, para 70 convidados, com um almoço de domingo. Para nossa sorte, temos muitos amigos que trabalham com coisas que podem ser usadas em casamentos…

Roupas

As roupas e sapatos do noivo foram compradas na Zara. Até a gravata borboleta ele achou! Tudo saiu mais ou menos R$1500. Meu vestido foi feito pela mãe do meu padrinho de casamento. Comprei os tecidos na 25 de Março e ela costurou. A mão de obra foi presente. Gastei em torno de R$150 entre tecidos e a lavanderia, onde levei para passar. Trombei com o sapato no shopping, estava em liquidação, comprei por R$99.

Cabelo e maquiagem

Comprei uma tiara de R$20 na internet, fiz minha própria maquiagem e minha madrinha arrumou meu cabelo. Não ficou perfeito, mas foi um momento ótimo na casa da minha mãe.

Alianças

Compramos na internet. Meu marido não usa anéis de metal, então compramos alianças de silicone pra ele. Custaram $10 dólares e o frete foi grátis (ele comprou dois modelos diferentes, e escolheu quando chegaram).
A minha é de carbeto de tungstênio, custou $40 dólares também sem frete. Pedimos para entregar na casa de um amigo que mora nos EUA e trouxe pra gente. As caixinhas eu mesma fiz, com cestinhas de palha, fitas e pompons de lã que comprei na papelaria perto de casa. Aproveitei a viagem para comprar papel, lápis, giz de cera e massinha para as crianças brincarem.

Buquê

Minha tia faz buquês de flores artificias e me emprestou o meu favorito (e depois me deu, afinal eu já tinha comprado um vaso pra ele e “me dá, tia!!”). Então, foi de graça.

Comida

A mãe da minha madrinha é banqueteira, e fez um cardápio especial pra gente – com rabada e coxinha. Além disso, ela contratou os garçons, alugou as louças e talheres e providenciou os descartáveis. As bebidas (água, suco, refrigerante e cerveja) e o gelo compramos numa adega perto de casa. Ela se encarregou de gelar e organizar tudo. Chamei também uma moça para ajudar com as louças, retirar os copos, recolher o lixo, etc., liberando os garçons para servir (eu comi pra caramba, viu. Essa coisa de “noiva não come” não se aplica a noivas que invadem a cozinha).mA única coisa que resolvemos a parte foram os pratinhos de bolo: compramos pratinhos de papel, com a estampa do Homer Simpson, num supermercado perto de casa. Gastamos aproximadamente R$ 5 mil com essa parte.

Bolo e docinhos

Conheci a Débora por ter estudado com o irmão dela, que sempre levava os docinhos da Paper Sweet pra vender na faculdade. Encomendamos o o bolo, docinhos e bem casados com ela. O bolo ficou lindo e os docinhos são deliciosos, só comemos porque ela deixou uma “marmitinha” separada pra gente. Com o bolo de 7kg, 400 docinhos e 200 bem casados, investimos em torno de R$1500.

Música

Fizemos uma playlist no computador, pegamos uma caixa de som emprestada com o baterista da banda e demos o play!As músicas de entrada/ cerimônia/ primeira dança (que fizemos logo após a cerimônia) organizamos no SoundForge, deixando tudo com o tempo certinho. Então, foi de graça também!

Local

Achei o espaço procurando no Google Maps. Era do tamanho perfeito e com o “clima” certo. Tem uma pitangueira, espaço coberto, fraldário… Além disso, tem uma cozinha bem equipada e que facilitou muito o trabalho de distribuição da comida rs. O aluguel foi R$750 por 12h, com as mesas e cadeiras.

Decoração

Tivemos problemas aqui. Muitas empresas não entenderam a idéia do casamento (simples, num domingo a tarde) e nos ofereceram pacotes enormes e caros. Por fim, a dona do espaço indicou o Atelier Daeli, que já tinha feito festas lá e sabia o que fazer.A Eli indicou a Agatha Rolim, que fez o painel de lousa atrás da mesa do bolo.
A parte, compramos as luzinhas para enfeitar a pitangueira. Usamos dois fios de 50 luzinhas globo no “pé” e mais dois fios de 200 luzinhas de natal nos galhos.
No total, com aluguel de mesas e da lousa, desenho do painel, flores e tudo o mais, gastamos R$2200.

Noivinhos (topo de bolo)

Achei a Pati Mendes procurando aleatoriamente na internet. Mandei muitas fotos de referência pra ela, além do questionário detalhado que ela pede, afinal Leia e Han tinham que estar perfeitos! Ela ainda colocou um pequeno sabre de luz na mão da noivinha, eu quase tive um treco quando vi.
Com o frete, custaram R$450.

Fotografia

Um amigo indicou outro amigo que indicou o Caio!
Não tenho nem palavras pra descrever o quanto gostamos dele – não só das fotos, mas da pessoa. Foi cármico, sei lá. Ficamos amigos e pronto rs. Recomendamos pra todo mundo. Ele é um fofo e as fotos ficaram exatamente como queríamos, sem um monte de poses, mostrando como foi a festa. Caio a gente te ama <3

Coisas que não fizemos

Não tivemos nenhum tipo de chá. Não tínhamos convite – chamamos todo mundo pelo Facebook. Não fizemos lembrancinhas. Eu não joguei o buquê. Não passei o sapato também, mas o tio do meu marido passou a gravata.
Com isso, economizamos uma grana saudável, e ninguém ficou ofendido.

Cerimônia

Para quem está se perguntando como fizemos…
Nossas irmãs entraram com as alianças. Meu marido e nossos padrinhos (um casal de cada lado) já estavam esperando na pitangueira. Eu entrei logo depois. Lemos um pequeno texto agradecendo pela presença de todos, e explicando que a cerimônia seria feita por nós. Meu padrinho leu um poema (“Todas as cartas de amor”, do Fernando Pessoa) e os padrinhos do marido contaram a nossa história do ponto de vista deles. Meu marido leu os votos dele (que incluíam ver novelas turcas comigo todo dia) e eu li os meus (que fazia referências a Star Wars e Doctor Who). Na troca de alianças, recitamos os votos de casamento de Westeros. Nos declaramos casados, dançamos e tomamos uma chuva de arroz (e isso dói!).
As músicas que usamos foram “I’m the Doctor” (entrada), “Han Solo and the Princess” (cerimônia) e “Accidentaly in Love” (dança). Mais tarde, meu marido e sua banda cantaram “As Long as You Love Me”, do Backstreet Boys.”

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

relato de casamento econômico sarah e erico são paulo

Fornecedores

Bolo e doces – Paper Sweet | Almoço – Comidinhas da Marina  | Buquê: Maria Augusta Scardelatto | Alianças – Cloud9 e QALO | Decoração: Atelier Daeli | Noivinhos: Pati Mendes | Local: Espaço Wilma | Fotografia: Caio Braga Fotografia

Sobre o Autor

Sammia

Newsletter

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Rede Casando sem Grana

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d