Por @giomanfroi

Na coluna deste mês, decidi contar um pouco sobre o meu casamento, que será agora em março. Eu e a Ana, minha noiva, decidimos nos casar em agosto de 2018, quando saímos de viagem (e ainda não voltamos). O casamento foi todo planejado à distância, e foi uma aventura!

Saímos do Rio Grande do Sul em direção ao Peru, depois descemos toda a costa chilena, percorrendo o pacífico até Ushuaia: a cidade mais austral do mundo. Após uma temporada no extremo sul do continente, voltamos a subir pela Argentina e pelo Chile até chegar em San Pedro de Atacama, onde estamos no momento.

Todo esse percurso está sendo feito em uma van – que também é a nossa casa – apelidada carinhosamente de Andina, pois nos conhecemos em uma viagem para os Andes. Viajar é a nossa vida e o nosso trabalho, então não teríamos como escapar de um casamento organizado à distância.

Depois de 6 meses de estrada e (quase) tudo planejado para o casório, posso dizer que foi uma experiência incrível e de sucesso! Então aí vai nosso diário de bordo:

O lugar e a cerimônia ideal

A primeira decisão tomada foi o lugar onde nos casaríamos. A cidade escolhida foi Lajeado/RS, onde toda a família da Ana mora. Com uma vida tão nômade como a nossa, sentimos que o casamento era o momento de voltar às raízes e estar o mais próximo possível da família.

O próximo passo foi decidir como seria a cerimônia: o que era importante para nós? O que não poderia faltar? O que não fazia sentido?

Não temos muita frescura para nada e não somos fãs de grandes eventos, nosso maior desejo era apenas reunir as pessoas que amamos e festejar com elas. Decidimos então por um casamento ao ar livre, que será celebrado pelo meu primo, um de nossos padrinhos.

Alguém de confiança para ajudar

Sabíamos que não conseguiríamos fazer tudo sozinhos e precisávamos de alguém para nos ajudar nessa missão. Estávamos quebrando a cabeça tentando pensar em alguém que conseguisse realmente nos entender e colocar a nossa personalidade no casamento, pois nossa ideia era fugir do tradicional. Foi então que a Beta nos escolheu!

Nosso anjo da guarda foi a Elisabete Gasparotto, da empresa Casei com Elas. Além de ser irmã de uma amigona nossa (que será madrinha), a Beta sonhou com nosso casamento antes mesmo de contarmos às famílias que pretendíamos nos casar. E o sonho dela era perfeito, a nossa cara!

Desde então, é a Beta quem se reúne com os fornecedores, experimenta os cardápios e negocia com o pessoal que se interessa em fazer parcerias. Nós ficamos recebendo tudo por WhatsApp e tomando as decisões com a ajuda dela.

Desapegar dos detalhes

A tantos quilômetros de distância, era impossível controlarmos todos os detalhes do nosso casamento. Para não dar margem para frustrações, decidimos nos apegar somente à essência. Conversamos muito entre nós e com a Beta, para que ficasse muito claro quem somos e quais as nossas prioridades. Assim, conseguimos desapegar e confiar nela para gerenciar os detalhes, tendo sempre a nossa personalidade em mente.

Aprovamos flores, doces, cardápio e decoração por fotos e vídeos no WhatsApp. A Ana comprou o vestido de noiva pela internet, no site O Amor é Simples. Vamos chegar no Brasil somente 15 dias antes do casamento, e temos certeza de que estará tudo perfeito! Afinal, a única coisa que realmente importa é conseguirmos celebrar ao lado das pessoas que amamos.

Se você sonha em fazer seu casamento em uma cidade, mas mora longe dela, meu conselho é: não desista! Organizar um casamento à distância é difícil, mas reunir quem você ama para compartilhar esse momento em um lugar que seja simbólico para o casal vale a pena.
Quem nos ajudou foi uma cerimonialista, mas no seu caso pode ser a sua mãe, sua cunhada, ou aquele amigo que acabou de casar. Bora?