Casa Nova, Vida Nova | Para curtir a dois - Cinema Argentino - Casando Sem Grana
Casa nova, Vida Nova REFERÊNCIAS

Casa Nova, Vida Nova | Para curtir a dois – Cinema Argentino

Cinema lá em casa. Só não repare a bagunça 😉

Agora que estou oficialmente casada, essa coluna volta com toda a autoridade, né? =D

Sim sim, agora vou escrever também sobre essa nova e deliciosa fase da vida a dois, que é o pós casamento. Não pretendo fazer outros blogs para falar disso ou até mesmo de filhos pois admiro com força as companheiras da blogosfera que o fazem mas, no meu caso que mal dou conta de um, acho melhor manter esta variedade aqui mesmo. Até por que, eu acho que todos estes assuntos mais dia menos dia, vão acabar por fazer parte da rotina da maioria de nós.

Hoje, para voltar com classe, quero dar dica de filmes para assistir assim…numa sexta ou sábado a noite bem juntinhos. Bom, confesso que sou uma péssima expectadora de cinema. Desde criança não via muita graça em passar de duas a três horas numa sala de cinema ou ainda ter de escolher 6 fitas por 9 dias na locadora. Acho que parte da culpa disso vem dos excessos irritantes das produções Hollywoodianas. Pelo menos pra mim, o peso absurdo dos efeitos especiais utilizados em grande maioria dos filmes, acaba deixando em último plano o investimento em melhores roteiros. Mas, gostos e teorias da conspiração a parte, quero contar algo muito mais positivo em relação ao assunto.

Há pouco tempo atrás eu descobri o cinema argentino e me apaixonei. Graças ao marido cinéfilo (que ironia do destino, não?!) finalmente senti que encontrei meu estilo de filmes e melhor: Sou apoiada pela crítica. Explico: O cinema argentino tem despontado em todo o mundo com a qualidade de suas produções. São filmes que tratam de assuntos dos mais profundos aos mais superficiais, com a naturalidade do nosso cotidiano. Eles fazem com que a gente sinta uma identificação com o assunto, sabe? São fáceis de entender e gostosos de acompanhar. Me atrevo a dizer até que, não assisti nenhum até hoje, que não tenha gostado.

Se liguem então na minha lista e apaixonem-se também =)

***

  • Nove Rainhas (Nueve Reinas | Fabián Bielinsky, 2000)

Esse foi o primeiro filme portenho que eu assisti. A história é tão boa, mas tão boa que o final deixa qualquer um surpresa(o) e embasbacada(o). A história ocorre em 24hs na vida de Marcos (Ricardo Darín – Anote esse nome, você vai ouvir e MUITO falar desse cara!) e Juan (Gaston Pauls), dois vigaristas que se envolvem em uma rede de golpes e mentiras na esperança de conseguirem uma oportunidade de mudarem de vida.

Sério: MUITO BOM. Minha avaliação é de 5 estrelas, hehehehe.

 

  • Um Conto Chinês (Un Cuento Chino | Sebastián Borensztein, 2001)

Uma comédia misturada com um pouco de drama. Desses filmes que vai te fazer rir bastante e quem sabe, chorar também. Roberto (Ricardo Darín) é um comercial chato, velho, rabugento e cheio de manias. Evita relacionamentos profundos, dorme sempre no mesmo horário e coleciona animais bizarros de vidro para a mãe já falecida. A vida dele entra em reviravolta quando um chines chamado Jun (Ignacio Huang) cruza seu caminho sem saber falar uma única palavra em espanhol e apenas com um endereço marcado em seu braço.

Minha avaliação é de umas 4 estrelas. Só por que me fez chorar =D

 

  • O Homem ao Lado (El Hombre de Al Lado | Mariano Cohn e Gastón Duprat, 2009)

A classificação do filme é de comédia mas cara…ele, pelo menos pra mim, foi muito mais suspense do que outra coisa. O enredo se dá quando o designer Leonardo (Rafael Spregelburd), tem sua privacidade ameaçada por seu vizinho Victor (Daniel Aráoz) que decide abrir uma janela em sua parede, bem de frente para a sala da casa do primeiro morador. Até aí estaria tudo bem, se não fosse o fato de que Victor tem ares de um misterioso matador cafona, que insiste em atormentar psicologicamente a vida e a família de Leonardo.

Minha avaliação: 4 estrelas. É um filme bizarramente bom. Só assistindo e se surpreendendo no final para entender =)

 

  • O Tango e o Assassino (Assassination Tango | Robert Duvall, 2002)

Ai, que filme bom! Se você, assim como eu ama tango, vai ficar fascinada por este filme. Ele não é uma produção argentina, mas como tem ligação com o assunto, vale para essa lista 🙂 John J. (Robert Duvall) é um matador nova-iorquino que recebe a missão de executar um ex-general argentino. Enquanto aguarda o momento certo para atingir seu alvo, precisa aguardar duas semanas em Buenos Aires. A partir daí, apaixona-se profundamente por seus tangos históricos e sua vida se transforma…

Avaliação: 5 estrelas. Um roteiro bem construído e uma história envolvente pra caramba. Adorei!

 

  • Pelos Meus Olhos (Te doy mis ojos | Icíar Bollaín, 2003)

Esse é um filme muito forte. Assisti-lo após o Dia Internacional da Mulher, só nos faz relembrar a importância da luta contra a violência doméstica. Este também não é um filme argentino e sim Espanhol, mas vale a pena como todos os outros e a proximidade com a língua nos liga com a história. Pilar ( Laia Marull) é uma vítima da violência doméstica. Após uma fuga desesperada e frustrante, decide dar uma segunda chance a seu marido Antonio (Luis Tosar) em recuperação psicológica de seu temperamento explosivo e destrutivo. Toda a narrativa de violência, cobranças sociais sobre o casamento e desfecho aliviante, constroem um filme excelente.

Avaliação: 4 estrelas. Reforçador de conceitos, é um filme que toda mulher deveria assistir.

 

***

Onde encontrá-los

Com sorte, alguns em locadoras. Mas…é muito mais provável pela internet afora. Como não posso incentivar pirataria por razões óbvias aqui no blog,  não posso abrir publicamente onde nós os “encontramos”. Entretanto, se você ficou com MUITA vontade de assistir e não os está encontrando por aí, me mande um email e eu dou um toque. Até por que, infelizmente, cultura no nosso país é geralmente cara e pouco acessível, o que abre brechas largas para “downloads ilegais”. Não que eu seja a favor de cometer “crimes virtuais”, mas meu conceito deles não é igual ao que definem as regras de direitos autorais, logo, não fico sofrendo por buscar cultura pelo compartilhamento pela internet. Até que me provem o contrário e me ofereçam outros meios de ter acesso a obras primas como essas de forma fácil e menos custosa ($), infelizmente essa é minha saída…

 

Beijos!

 

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d