A vida depois da festa - Casando Sem Grana
Casa nova, Vida Nova

A vida depois da festa

Imagem: Lauro Maeda

A organização do casamento traz mil sentimentos à tona e, quando a lua de mel acaba é preciso estabelecer um equilíbrio próprio para enfrentar um novo mundo. Sim, sair da casa dos pais não é nada fácil, pelo contrario, é uma tarefa dolorosa, que necessita de coragem e determinação.

Aceitar as diferenças do outro, compreender que as culturas são diferentes e, que a educação não é a mesma, nem sempre se aprende de um dia para o outro. É preciso tempo para ver que as formas de ver o mundo podem ser parecidas, mas os caminhos pouco se igualam.

Imagem: Google

O casamento não é fácil. Engana-se quem pensa que vai mergulhar em um mar de rosas diariamente. Não digo que não seja possível, mas é preciso muito entendimento para se deleitar com a convivência a dois. Pronunciar o tão caloroso “sim” é uma sensação maravilhosa, todavia, você precisa ver todos os ângulos para perceber que sua vida vai mudar e, principalmente, aceitar essa mudança.

Realmente é fantástico escolher vestido, decidir decoração, escolher buffet, mobiliar e decorar o lar doce lar, mas como fazer para que essa alegria não acabe nos primeiros meses depois do enlace?

Imagem: Google

Já ouviu falar nos famosos pilares de um lar harmonioso? Eles são um pouco da essência que temos que levar ao casamento para começarmos a vida a dois com o pé direito. Ouvi um pouco deles no dia 17/03/2012, dia do meu casamento e achei muito interessante. Não quero pregar nenhuma doutrina aqui, por favor, até porque cada instituição interpreta de uma forma, mas vale para conhecimento. Resumidamente são eles:

1º “Por isso deixa o pai e a mãe”: cortar o cordão umbilical dos pais. Isto é, serem um para o outro, sem interferências, com o objetivo de suprir as necessidades um do outro.

2º “Se une a sua mulher”: ver o casamento como uma instituição permanente, sem deixar que ninguém os separe, seja a sogra, o trabalho, os amigos, NADA!

3º “Tornando os dois uma só carne”: vivendo um para o outro, cumprindo os votos feitos perante Deus.

4º “Intimidade”: para que consigam barrar as interferências do destino e ter disposição de construir e reconstruir ao mesmo tempo.

Não é uma tarefa difícil de ser colocada em prática, mas basta ter ciência dos objetivos e persistência para chegar ao caminho certo, sem muitos buracos ou barreiras. É claro que a saudade da casa da mamãe vai persistir por algum tempo, mas sabe qual é a melhor dica? Permita-se crescer e dê oportunidades para o outro crescer também. Logo essa sensação estranha passa e você descobre que pode sim ser feliz entrando em uma nova etapa da vida.

 

Beijos, beijos

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d