Casamento acessível - Casando Sem Grana
Planejamento

Casamento acessível

Bom dia! Boa tarde! Boa noite! Tudo jóinha?!

Bora pensar mais um tiquinho em quem fará parte de seu grande dia?!

A palavra “acessível” é muito atrativa para nós, não é mesmo?!

Porém, tenho de lhes informar que hoje o “acessível” não se refere a valores monetários e nem mesmo ao acesso aos locais de cerimônia/recepção, mas sim à “Acessibilidade”.

Lembra aquele papo que tivemos sobre olhar para as crianças, depois falamos de olhar para os convidados de modo geral?!

Então, hoje continuaremos essa série, acrescentando reflexões sobre acessibilidade, para te ajudar a atender as diversas especificidades que possam existir entre seus convidados.

Vamos aprender juntos/as?!

Fiz um apanhado dos principais termos e definições necessários para o entendimento do assunto. Todos devidamente referenciados ao final do post!

Vale ressaltar que os conceitos aqui apresentados são apenas para que possamos saber um pouco mais sobre o assunto, sem finalidade científica. Não foi realizada nenhuma busca bibliográfica exaustiva, ok!

Um pouquinho de conceitos, então:

Vamos começar pelo ponto principal dessa prosa: Deficiência

Vejamos agora aquelas que ocorrem com maior frequência:

Quem esteve de olho nos noticiários de dezembro passado deve ter visto a saia justa enfrentada pela Presidenta Dilma ao se equivocar no uso do termo “portadores de deficiência”. Se não soube, leia.

Antes mesmo desse deslize esse post já estava encaminhado, e já abarcava esse dilema!

Ao buscar conteúdos relacionados ao assunto somos muitas vezes levados ao erro da Presidenta, pois muitos documentos relativamente antigos, mesmo legislações, portarias mencionam “Portadores de deficiência” ou “Portadores de necessidades especiais“, “Pessoas com necessidades especiais”  Então, nada de condenar a presidenta ou qualquer outro cidadão!

O que nos interessa é saber a razão pela qual esses termos não são apropriados:

Certo! E “portadores de deficiência”?

“O que que é certo, então?!”

— Atualmente o correto é dizerPessoa COM deficiência“.

A deficiência está COM a pessoa!

Temos também alguns outros casos, tão importantes quanto: Mobilidade reduzida e Dificuldade de locomoção!

Depois de compreender as particularidades que os convidados podem apresentar relacionadas às sua condição física, é hora de compreender o que se pode fazer para minimizar as diferenças!

Prestaram atenção? “COM SEGURANÇA”

“E a tal inclusão?”

[Notaram que no conceito o termo usado é “pessoa com necessidades especiais”? Não tive acesso à edição mais recente da obra para conferir se foi atualizado…]

Depois dessa sopa de letrinhas, vamos ao foco de nosso interesse: Como incorporar acessibilidade num casamento? Como promover inclusão neste momento?

Primeiro recorra a sua lista de convidados. Identifique os convidados com deficiência/mobilidade reduzida  e quais as suas necessidades.

Depois de identificadas, essas especificidades devem fazer parte de seus critérios de escolhas.

Os pontos mais cruciais a serem observados são:

Acesso (rampas/escadas)

Fonte: Google Imagens

Banheiros (barras de apoio e largura da porta)

Fonte: Google Imagens

A cerimônia e recepção são eventos relativamente curtos, logo, não se faz necessário uma estrutura extremamente elaborada… Mas esses pontos são básicos para que a pessoa com necessidades especiais tenha um mínimo de independência e autonomia em seu período de permanência nos locais.

“E se não tiver nada disso?”

Aí a gente conta com os braços fortes e solidários presentes!

O intuito é alertar para que você, caso tenha convidados com deficiências, possa olhar os espaços a serem escolhidos pensando também nessas necessidades, pois não são itens de acessibilidade que deixam uma locação mais ou menos cara, logo, se puder escolher por um espaço que atenda perfeitamente essas especificidades, melhor!

Mas se vocês já locaram um local que não atenderá algumas necessidades dos convidados ou não encontram nenhum local que possa atender, não se desesperem.

Como já disse, são poucas horas e haverá uma porção de pessoas dispostas a minimizar as diferenças físicas existentes!

Ah! Importante: Não inventem “Gambiarras”! Destacamos lá em cima: o conceito de acessibilidade menciona “com segurança”! Não me vá arrumar dor de cabeça, hein!

Outras formas de aconchegar melhor essas pessoas

Cerimônia:

  • Reserve lugares que possibilitem boa visão para acomodar pessoas com mobilidade reduzida/dificuldade de locomoção, reservando lugar não somente a ela, mas também aos seus familiares mais próximos.
  • Para isso, faça um mapa da igreja ou do local da cerimônia, identifique esses locais e prepare algum papel para identificar a reserva dos lugares (normalmente lugares mais a frente e nos corredores). No ‘grande dia’, oriente a pessoa que for lhe assessorar tanto para direcionar esses convidados a esses locais quanto para respeitar caso o convidado opte por sentar-se em outro local qualquer.
  • Faça o mesmo também para idosos, reserve lugares a frente para que seus olhinhos cansados possam apreciar os momentos da celebração de sua união.
  • Algum desses convidados está entre seus padrinhos? Tem madrinha grávida? Bota cadeira lá no altar!!!

Fonte: Google Imagens

  • Caso tenha convidados com deficiência auditiva, você pode preparar um roteiro, incluir letras de músicas, etc. para que esse convidado possa acompanhar sua cerimônia. Da mesma maneira, instrua a pessoa que estiver te auxiliando no dia para entrega do material ao convidado.
  • Se o número de convidados com deficiência auditiva for alto, verifique a viabilidade de incluir tradução simultânea em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Se você tem muitos conhecidos nessa condição não será difícil que entre seus conhecidos haja alguém que possa lhe auxiliar nessa tarefa!
    • Ao final desse post você encontrará uma dica de leitura a esse respeito!
  • Caso tenha convidados com deficiência visual, você pode também verifique a viabilidade de alguém ficar próximo à essa pessoa relatando os detalhes visuais. E se tiver muitos convidados com esse tipo de deficiência, também tem uma indicação de leitura bastante interessante lá no final!

 

Fonte: G1 e Vercompalavras, respectivamente

Recepção:

  • No local da recepção procure também elaborar um mapa do local e tente visualizar a locomoção pelo espaço. Se achar que pode ser difícil para algum convidado se locomover, vocês também podem “reservar” uma mesa mais apropriada e novamente contar com sua assessoria para orientar esse convidado (ou respeitar seu desejo contrário).
  • No caso dos idosos e pais com crianças pequenas, alguns podem preferir sentarem-se afastados do som. Também deixe a orientação para seu pessoal de apoio, para que perguntem ao convidado idoso e/ou aos pais com bebê se desejam sentarem-se um pouco mais afastado do som, e assim poder sugerir um local menos agitado para se sentar.
  • Se você sabe que os idosos são da bagunça, nem esquente!

Fonte: Google Imagens

Viu que nenhuma dessas dicas aumenta significativamente os investimentos?!

Viu que sua lista de convidados pode lhe trazer uma porção de respostas, que vão muito além do total de pagantes?

A gente casa para a gente! Mas para comemorar, comemoramos COM os outros… E é possível pensar com carinho em alguns detalhes e recepcionar bem, na medida do possível, todos os convidados, respeitando suas características individuais!

Conseguir abarcar todas as especificidades fica difícil, mas aqueles que conseguirmos suprir farão uma diferença positiva muito bacana!

E você? Tem um exemplo legal, uma opinião contrária, uma ideia a acrescentar?

Ou ainda, você e/ou noivo(a) possuem deficiência?!

Fonte: Noiva cadeirante

Conta pra gente!

Dentre minhas leituras de apoio, encontrei uma sugestão interessante à esse respeito…

Todos nós sabemos que nosso destino é um dia sermos idosos. Mas o que de fato o destino nos reserva é desconhecido, e podemos cedo ou tarde passar a integrar as estatísticas de pessoas com deficiências.

E quantas “deficiências” há no mundo para as pessoas com deficiências???

Diante disso, quando estiver em contato com fornecedores (buffet, espaço para eventos, igrejas, etc), ainda que você não tenha nenhum convidado com deficiência, faça essa pergunta: Vocês estão preparados para receber pessoas com deficiência?!

Se a resposta for negativa, demonstre que esse fator te entristeceu!

Quem sabe assim futuros casais tenham menos dificuldade em encontrar espaços preparados para inclusão das pessoas com deficiência?!

Beijinhos!


 Referências:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2004. 97p. Disponível em: <http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/arquivos/%5Bfield_generico_imagens-filefield-description%5D_24.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional da Pessoa Portadora de Deficiência. [2009]. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual2.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2012.

COTOMACCI, Giovana. Lazer: direitos e acessibilidade das pessoas com deficiência ou necessidades especiais. Campinas, SP: [s.n.], 2007, 84 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Graduação em Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2007. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000437308>. Acesso em: 15 nov. 2012.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro, RJ: WVA, 1997. 174 p.

Dicas de leitura:

 Relato : deficiência auditiva

JOVENS SURDOS DO DF SE CASAM NESTE SÁBADO EM CERIMÔNIA EM LIBRAS. Disponível em: <http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2011/09/casal-de-surdos-do-df-se-casa-neste-sabado-em-cerimonia-em-libras.html>. Acesso em: 15 nov. 2012.

 Relato: deficiência visual

CASAMENTO DE WILLIAM E ADRIANA. Disponível em: <http://www.vercompalavras.com.br/blog/?page_id=97>. Acesso em: 15 nov. 2012.

 Relato: deficiência física

NOIVA CADEIRANTE. Disponível em: <http://noivacadeirante.blogspot.com.br/>. Acesso em: 15 nov. 2012.

Relato: planejamento

VEJA COMO PLANEJAR UM CASAMENTO ACESSÍVEL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Disponível em: <http://www.deficientefisico.com/veja-como-planejar-um-casamento-acessivel-para-pessoas-com-deficiencia/>. Acesso em: 15 nov. 2012.

Sites interessantes:

Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Terminologia (Governo do Estado de São Paulo – Secretaria dos Direitos da Pessoa Com Deficiência)

 

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d