Casamos!!! | Relato do Grande Dia de uma noiva sem grana
FAÇA VOCÊ MESMO HISTÓRIAS REAIS

Casamos!!! | Relato do Grande Dia de uma noiva sem grana

Oiiiiiii, gente!!!
Tudo bem com vocês???

Que saudades de escrever aqui! Fiquei um tempinho fora do ar, afinal agora sou uma jovem senhora casada 😀 UHULLLLL, nem acredito que já posso dizer isso!! Que alegria foi o nosso casamento.

Depois do último post da terça-feira, dia 13/05, a semana passou rapidinho. Na quinta nós casamos no civil e foi ótimo: super rápido, acho que em 5 minutos eu já estava casada e com a certidão nas mãos. Agora, os cartórios otimizaram os processos de casamento, o que facilitou – e muito.

Não fizemos nada de excepcional para o casamento no civil, apenas fiz algumas caixinhas de Casadinhos (aqueles docinhos amanteigados unidos por goiabada e passados no açúcar) como lembrancinhas para quem foi no cartório. De lá, saímos para arrumar as malas para a nossa viagem…

Na sexta-feira eu acordei pilhada com o tanto de coisa que ainda tínhamos que fazer, mesmo faltando algumas horas para o Grande Dia: receber as flores da decoração, começar a enfeitar o salão e montar toda a estrutura da festa – que seria por nossa conta. A nossa sorte é que contamos com a ajuda dos meus pais, que largaram tudo para nos ajudar a arrumar as mesas, colocar as bebidas da festa para gelar e ajudar no que fosse preciso no salão.

Nós pegamos a chave do salão de festa na sexta-feira e já começamos a arrumação o quanto antes. Fizemos teste de som e iluminação, que já estavam inclusos e seriam comandados facilmente por nós mesmos com um pendrive; o jogo de luzes era comandado por palmas – isso mesmo palmas! Dependendo da batida a iluminação mudava ^^

Ainda na sexta-feira, eu também já aprontei todas as garrafinhas nas mesas, deixando para colocar as flores no sábado. Montamos 95% das coisas na sexta e isso fez com que eu fosse dormir de sexta para sábado com 50 kg a menos nas costas!

casamento-da-gabi-sabado

Eu e o noivo madrugamos – 6h da matina já estávamos de pé, prontos para ir à feira retirar as flores que já havíamos encomendado um sábado antes. As flores estavam simplesmente lindas, frescas, cheirosas e “repolhudas”, como diz minha mãe, rs. Nós encomendamos rosas amarelas, rosas champanhe, rosas brancas e vários maços de “mosquitinhos“. De quebra, ainda compramos vasos enormes de margaridas brancas para decorar o chão, perto da mesa do bolo. Como diz minha sogra: ficou parecendo um jardim de tão bonito!

Aliás as flores da Igreja também foram margaridas, só que amarelas; essas eu encomendei em uma floricultura japonesa ótima pertinho de casa, e nunca vi margaridas tão lindas, tão cheias e tão amarelas como essas! Eles me entregaram na sexta-feira à tarde e vieram superfrescas.

Bem, depois de madrugar na feira, nós fomos para a casa da minha avó limpar as flores e preparar os baldes com água para carregá-las para o salão – que, para noooossa alegria, fica na esquina da rua da casa da minha avó 😀 Moleza, né? Montamos uma “base aliada” na casa da vó, o que facilitou (e muito!) a nossa vida. Tudo estava lá: decoração, docinhos, flores, vestido… Isso facilitou a logística do casamento, tudo aconteceu mais rápido por conta disso.

Descemos para o salão às 7h15 e eu comecei a encher as garrafinhas com água e colocar as flores, que já estavam devidamente limpas e cortadas. E tudo começou a tomar forma, foi ficando lindo, lindo… E o coração não cabia em mim, batia igual a uma bateria de escola de samba!!! Enquanto isso, o noivo foi buscar a mesa provençal que alugamos e, em questão de uns 30 minutos, as mesas já estavam todas arrumadas – e eu ainda pude dar uma força na hora de montar a mesa provençal.

2

Salão arrumado, seguimos para a Igreja com toda a decoração no porta-malas. Chegamos em torno das 8h e pouco, já que só era permitido montar a decoração a partir das 8h mesmo. Entramos e ainda fizemos uma oração pelo nosso casamento 🙂 Começamos a colocar os cachepôs, um a um; a Igreja foi se transformando em um jardim florido, lindo. Colocamos as margaridas dentro de um cachepô rústico que já estava com alças e laço de cetim, e foi a decoração mais linda, econômica e prática que nós poderíamos ter feito! A nossa Igreja já era linda demais, não precisava de quase nada ali. Acertamos em cheio em fazer arranjos baixos e pendurados nos bancos, pois o corredor da Igreja onde casamos é estreito, e isso pede arranjos menores e que não tomem muito espaço.

Igreja decorada, dei uma passada rápida na casa dos meus pais, peguei o bolo desconstruído que já estava descongelando desde sexta-feira à noite para ser montado, bem como todos os ingredientes, e fomos direto para o salão. Chegando lá, montei o bolo em uns 20 minutos e já fui levando tudo para a mesa do bolo. Coloquei os suportes para doces, os docinhos, porta-retratos, os arranjos maiores que fiz com vidros de palmitos e as flores; arrumamos tudo e, por volta das 10h da manhã, tudo estava na mais perfeita ordem!

10

O pessoal do Buffet que contratamos começou a trazer os pratos, talheres, rechauds, guardanapos…

8

7

6

5

3

E ainda deu tempo de eu e o Vinicius dobrarmos 120 guardanapos com uma dobra que ficou bem linda, para colocar os talheres do jantar dentro do prato. Exigente a moça, né?  Só um pouquinho… hahaha.

4

Saímos do salão por volta das 11h. Cheguei em casa, tomei um banho, almocei e adivinhem: FUI DORMIR! kkkkkkkk. Sim, eu dormi no dia do meu casamento! Dormi por umas 2h – sabe aquela soneca gostosa que a gente tira depois do almoço? Nem acreditei que eu consegui, acordei revigorada, a pele até brilhava! Fiquei mais um pouco em casa, recebi uma amiga querida que veio me trazer um presente e, quando o relógio marcou 16h30, partimos eu e minha mãe para o salão de beleza, fazer cabelo e maquiagem.

A partir daí foi só alegria! Minha fotógrafa maravilhosa me deixou super descontraída, afinal já tínhamos feito sessão de fotos antes e já nos conhecíamos muito bem. Brinquei, sorri, fiz palhaçada e – pasmem – não fiquei nem um pouco nervosa. Saí do salão arrumada às 19h30; nosso casamento estava marcado para as 20h. Se não fosse o nosso querido Frei atrasar cerca de meia hora, eu seria uma noiva bem pontual!

20h40 eu estava na porta da Igreja de braços dados com o meu paizinho, muito elegante dentro do seu terno risca de giz ^^AH, que emoção! Mas eu estava tão feliz que eu não conseguia chorar. Eu sorri o casamento inteiro: entrei sorrindo, troquei as alianças sorrindo, fiz tudo sorrindo!! O único momento em que eu chorei foi na hora do cumprimento dos padrinhos, quando abracei meu único irmão, que foi embora para o SUL. Juntou a saudades que eu estava dele, mais a ligação forte que nós temos, daí eu desabei mesmo. Chorei igual criança, afinal já estava no fim do casamento, HAHAHAHA, já podia borrar tudo!

Com a benção maior dada na Igreja, bora nóis pro festejo! Não paramos em nenhum lugar para tirar foto, nós queríamos mesmo é aproveitar a festa. Chegamos sob os aplausos vibrantes dos nossos convidados – que, aliás, das 120 pessoas que convidamos, só 15 não foram – e vocês nem imaginam como meu coração de noiva ficou feliz por isso! Aproveitamos a festa em todos o sentidos: dançamos, sentamos para jantar, bebemos espumante, comemos doce, comemos bolo, fizemos TUDO o que tínhamos direito. Tiramos milhares de fotos também  e, no fim na noite, a sensação era de uma alegria que não cabia na gente.

9

No final, ficamos só eu, o Vinicius e a proprietária do salão conversando, e um filme passava na minha cabeça: os dois anos de preparativos tinham terminado; o nervosismo, a ansiedade, todo aquele desejo de dormir e acordar no dia do casamento, tudo, TUDO tinha passado – e passou tão rápido. E ainda bem que nós conseguimos aproveitar tudo isso, cortar cada fitinha de cetim, cada cabinho de flor, provar do morango do bolo, roubar um docinho antes da hora…

11Gente, ainda não tenho as prévias oficiais para postar aqui, essas fotos foram tiradas por amigos e parentes.

Que delícia que é casar!!! Quero casar de novo – com o mesmo noivo, é claro – hahaha. É por isso que eu digo que vale a pena colocar a mão na massa, pois você “vive” o casamento, você literalmente “casa” com seus preparativos, e não é só pela economia, que é certa, mas também por você poder imprimir todo o seu amor em cada cantinho do seu casamento. Isso não tem preço que pague!

Nota do que deu errado:

É lógico, nada é um Conto de Fadas…

  1. Alugamos um tapete para a Igreja, mas não rolou colocá-lo – era feio demais! Na foto ele era bonito, mas pessoalmente… Parecia pelo de rato! KKKKKKKK E, na hora que olhamos um para o outro, pensamos a mesma coisa: melhor sem tapete! Acabamos devolvendo o tapete no sábado de manhã sem nem ter usado.
  2. O freezer do salão de festas era pequeno, não coube todas as bebidas. Tivemos que alugar um freezer às pressas, mas conseguimos na sexta-feira mesmo, e por um precinho camarada: R$ 90 (olha o dinheiro extra entrando aí, gente!)
  3. Sem querer, joguei todos os Boutanieres no lixo – ALOKAAAAAA! Disfarça… rsrs.

Bem, acho que é só 🙂

Beijo grande e logo volto com mais detalhes do nosso Grande Dia!

assinatura_gabi_nova

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d