Casamento real e econômico | Marli e Inaldo
Casamentos HISTÓRIAS REAIS SÃO PAULO Sudeste

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Marli e Inaldo resolveram realizar o casamento depois de quase 25 anos juntos. Eles pesquisaram muito pra conseguir economizar e pra deixar tudo com o jeito deles, e deu tudo certo. Foi um mini wedding rústico com um toque de romantismo.

Vem ler!

“Meu nome é Marli Viana Santos, sou pedagoga, meu marido é analista de sistemas e micro empresário. No dia 20/06/15 oficializamos nossa união que já dura 25 anos, sonhávamos com um casamento bonito e que refletisse nosso amor pela família e pelos nossos amigos, queríamos criar um ambiente confortável, alegre e aconchegante, como se estivéssemos recebendo-os em nossa própria casa. Queríamos algo bem organizado e personalizado e que não fosse necessário gastar uma fortuna na realização, tínhamos apenas cinco meses e pouquíssimo tempo durante a semana para cuidar do casamento, usávamos o período da noite, fins de semana e feriados (todos do primeiro semestre), tivemos que contar com a ajuda da tecnologia, realizamos muitas pesquisas em blogs, e o que mais me interessou e que continha matérias que me pareceram bem reais foi o Casando sem Grana, consegui muitas dicas excelentes sobre trajes, estilos de casamentos, buffets, como montar uma lista de convidados, etc. Através das pesquisas encontrei muitos sites de vendas, aplicativos de imagens com dicas de organização e muitas conversas através do Facebook, WhatsApp e Email durante todo o período. Esses recursos foram imprescindíveis nas pesquisas, compras, contratos, conversas e toda a organização do evento. Praticamente todos os serviços foram contratados à distância, pedimos indicação com fotos de outros casais que já haviam passado pelo mesmo processo.

Local da Cerimônia e Festa: Após a decisão de que de fato iríamos oficializar nossa união, entramos no mundo virtual dos casamentos em busca do lugar ideal, com valores acessíveis e que fosse a nossa cara. Realizamos alguns orçamentos, começamos a receber alguns retornos que a princípio não nos agradou nem um pouco, quando o valor era razoável, achávamos o lugar muito simples e comum, quando nos encantávamos com o espaço, os valores eram exorbitantes e completamente fora da nossa realidade. Nesse momento entendemos que não poderíamos convidar todas as pessoas que desejávamos, foi triste, mas necessário e descobrimos que a lista é o mais importante de tudo, é o primeiro passo, faça uma lista enxuta!

Em nossas pesquisas pela internet encontramos o site de um local que fica em Mairiporã no meio da Serra da Cantareira. Como estávamos em férias, no outro dia fomos visitar, ficamos muito empolgados, foi amor a primeira vista, era tudo muito lindo, rústico, clima de cidade do interior, realmente a nossa cara! Escolhemos o local na mesma hora e naquele momento decidimos muitas outras coisas, o principal foi que faríamos do jeito que havíamos pensado, para poucas pessoas, família e amigos muito queridos e próximos, seria um mini wedding para 100 pessoas. Fizemos então um “Save the date” (pré-convite), também virtual, além de economizar com convite em papel, foi bem legal porque serviu como um esquenta para o casório. Ao passo que os convidados iam confirmando a presença, fazíamos brincadeiras, postávamos dicas para o dia do casamento, como traje adequado para o local, dicas de horário e o que fazer por lá.

Iniciei a busca por traje de noiva e convites, através da indicação de noivas que haviam se casado nesse mesmo espaço, acabei entrando em contato com uma empresa de convites, a Cátia, dona da empresa retornou rapidamente, mandou vários modelos e valores. Sendo assim, a Cátia desenvolveu um projeto personalizado, que foi aceito na primeira prova, aliás, quando vi o “esboço” do que seria nosso convite de casamento fiquei muito emocionada e até chorei, os desenhos retratavam um pouco da nossa história, nossos hobbies, e ficou muito descolado! O papel escolhido era o reciclado, pois já havíamos decidido o estilo da festa: Rústico e Retrô, com os temas: música e romantismo. Toda a papelaria foi feita com a empresa da Cátia, os convidados adoraram e recebemos muitos elogios pela originalidade. Ganhamos um desconto legal porque decidimos pagar à vista e tínhamos sido indicados por uma outra noiva, economizamos também no mapa, que foi feito personalizado e impresso no verso do convite. Conseguimos economizar muito dispensando pequenos detalhes que não fariam muita diferença e optando por outros, o casal deve por tudo na ponta do lápis e evitar se empolgar somente com a beleza de alguns itens, tudo é muito variado, é preciso buscar outras opções mais em conta, pensando no custo benefício, para não correr o risco de encarecer demais o orçamento do casamento.

Traje da Noiva: Decidi pela compra do vestido depois de muita pesquisa e levantamento de orçamentos pela internet, os valores também eram diversificados, mas todos muito altos, queria algo simples e que não fosse tão caro. Após conversar com uma amiga, noiva virtual, vi seu vestido comprado em um site da China, ela me garantiu que o tecido era bom e que a entrega era garantida. Foi o primeiro item comprado pela internet, decidi fazer com cinco meses de antecedência, porque se não viesse do jeito que tinha encomendado, teria tempo de comprar ou alugar outro. Novamente a variedade e os valores são os detalhes que enlouquecem as noivas, firmei os pés no chão e após ler muitas dicas de pessoas que compram vestidos de festa pela internet, decidi por um de valor médio e com poucos detalhes, pouca renda e bordado, para não correr o risco de me decepcionar (dica encontrada em um blog de casamento), o mínimo é o máximo! Um detalhe importante, sempre achei bonito vestido com cauda, apesar de simples o meu tinha uma bela cauda, que me alegrou muito. Também consegui parcelar com o cartão de crédito internacional e o recebi lindo, bem embalado, tecido de ótima qualidade e costura perfeita, em aproximadamente um mês e meio, a única chateação é que tive que pagar mais impostos quando fui retirar no correio. Fiz um pequeno ajuste no busto que saiu super em conta e mandei lavar e passar para que ele estivesse lindo para ser usado no casamento. Considero que ainda assim saiu muito mais em conta do que se eu fosse alugar um modelo que usaria poucas horas e depois devolveria e não teria mais nada, o meu já foi colocado à venda, vou tentar receber parte do que investi nele.

Second Dress: Com um dos modelos que vi no site, mandei fazer um segundo traje para ser usado durante a festa, escolhi um de tecido leve e com renda, fui com minha mãe a uma loja de tecido e comprei todo o material para a saia do vestido, renda, forro e renda para um bolero, já que casaria no inverno, escolhi um ateliê de alta costura da Maria, além de ficar na rua da minha casa, a Maria, dona da loja e ateliê e suas funcionária, são doces, atenciosas e super competentes, em menos de um mês eu tinha mais um lindo vestido, por um valor bem baixo. Pensando nessa hipótese, se não tivesse me antecipado e comprado o primeiro vestido, o modelo que mandei fazer teria se encaixado perfeitamente no que eu havia pensado a princípio, algo bonito, simples, barato e de bom gosto.

Pensando na sustentabilidade social e após análise do que o ateliê da Maria oferecia, decidimos encomendar boa parte dos trajes da família, encomendamos vestidos de algumas madrinhas, traje completo da daminha, dos pajens e terno do noivo, que foi feito por um excelente alfaiate e usado como primeiro aluguel e do nosso filho também. Conseguimos excelentes descontos, tudo entregue no prazo, do jeito que havíamos pedido e sem contratempos.

Ainda dentro da linha da sustentabilidade social, minha daminha, madrinhas e eu, saímos em um sábado para conhecer algumas lojas de sapato no bairro onde moro, ficamos impressionadas em saber que é possível comprar coisas de excelente qualidade e com bons preços sem precisar se deslocar muito, gastando combustível, energia e passando horas dentro de um shopping center. Encontramos o meu sapato, assim como o da daminha e das madrinhas que estavam comigo em uma loja de fábrica. Novamente ganhamos descontos por termos comprado juntas, ouvimos do dono da loja que ele está há mais de 20 anos naquele mesmo local, que viu o bairro crescer e que é muito importante as compras no bairro, pois valoriza o comércio local e todos têm a ganhar com isso.

Buquê: Talvez esse seja um dos itens de maior valor sentimental em um casamento, o buquê! Fiz muitas pesquisas na internet, baixei diversos modelos e sofri muito em busca de um que se encaixasse com a proposta do casamento, lindo e com valor acessível, queria um artificial, pois poderia guarda-lo e também por conta de facilitar a logística no dia do casamento, já que seria às 12h e não teria tempo hábil de montar um natural no dia – gosto de coisas práticas rsrs.

Novamente com o apoio e orientação da minha amiga virtual e ex-noiva, fui até a Rua 25 de Março pesquisar a qualidade e os preços das flores artificiais. Quase enlouqueci com tanta variedade, aliás aquele é o verdadeiro paraíso das compras de coisas legais e com preço justo (25 de março tem tudo), comprei muitas coisas e tive muitas ideias para personalizar o Chá Bar e a festa do casamento. Foram duas incursões, com bastante paciência e tempo para procurar e comprar tudo o que havia listado para as festas.

Através de tutoriais pela internet consegui montar meu buquê, foram várias tentativas, mas com o apoio do noivo que se divertia com minha pouca experiência de artesã de primeira viagem, consegui chegar a um modelo que me agradou muito, foi feito com muito carinho e dedicação e enquanto eu o montava, ia idealizando como seria o casamento, indico para todas as noivas, faça o seu próprio buquê, natural ou artificial, é muito divertido, fica com a sua cara, sua energia, é como se fosse uma terapia pré-casamento e ninguém terá um igual ao seu, é super fácil, fora que gastei menos de 10% com relação aos valores orçados pela internet e mesmo nas galerias da 25 de Março. Tenho pouco talento para artesanato, as habilidades manuais não são o meu forte, mas recebi muitos elogios por ter confeccionado meu próprio acessório.

Alianças: Através de uma revista que tratava sobre casamentos, ficamos sabendo que em São Paulo tem um lugar chamado de a “Rua do Ouro”, trata-se da rua Quintino Bocaiúva, no centro da capital. Uma tarde fomos até lá… realmente é a rua do ouro e da variedade de preços, fomos em diversas lojas, visitamos diversos espaços dentro dos prédios, novamente a grande dica é pesquisar muito. Encontramos o que queríamos, escolhemos dois modelos em um catálogo e pedimos para mesclar, demos como parte do pagamento nossas alianças antigas, confesso que ficamos com um pouco de dor no coração, mas valeu a pena, pegamos nossas novas alianças depois de três dias, polidas e com nossos nomes e data do casamento gravado, mais uma grande emoção! Conseguimos um bom abatimento no valor final, parcelamos no cartão o restante, passamos cinco meses sem alianças e deixamos para recolocá-las no nosso grande dia!

Bolo, doces e bem casados: Feitos pela doceira que é um doce de pessoa a Karin, que fez tudo personalizado, do jeito que pedimos e que após quase três meses do casamento, tem gente que ainda fala da festa se deliciando, aliás foram tão comentados, que tive que fazer uma encomenda extra de bem casados e brigadeiros para os amigos que não puderam ser convidados, o topo do bolo foi feito por uma artesã amiga e parceira da Karin, chamada Luciene, que desenvolveu os bonequinhos a partir de fotos que enviei, ficou um charme, ainda fiz uma homenagem para o noivo com o bonequinho usando uma camiseta do Pink Floyd e acompanhado de uma guitarra, foi a sensação da festa!! O valor¿ Pagável e justo.

Decoração: Rústico, Vintage e Romântico – Contratei a decoradora Meire, que tinha uma proposta de decoração para casamento com materiais rústicos e reciclados, fizemos algumas pesquisas, fomos nos comunicando, até chegarmos no estilo de decoração que iria dialogar com o que queríamos para aquele dia, garimpamos alguns objetos, confeccionamos alguns e emprestamos da família outros, assim foi feita a decoração do nosso casamento e que deixou a todos encantados com a originalidade, personalização e sensação de aconchego. Foi o ponto alto da festa!

Making of: Toda a preparação da noiva, daminha, noivo e filho foi feita em casa, com tranquilidade e mais uma vez valorizando o serviço local, já que contratamos cabeleireira e manicure de confiança, Solange e Lane que residem e atendem na região onde moramos. O preço foi super especial e conseguimos um pacote para a noiva, noivo e daminha.

Filmagem e Fotografia: A partir da indicação de uma noiva que casou meses antes no espaço do Velhão, contratamos os serviços do fotógrafo Alex, conseguimos o making of em casa, mais cinco horas no espaço do casamento, incluindo cerimônia, sessão de fotos, balada, foi o melhor custo benefício que encontramos na época, os CD’s com todas as fotos em alta resolução e vídeo foram recebidos pouco mais de 20 dias após o casamento, o álbum, um mês e meio depois, tudo perfeito e da melhor qualidade, aliás esse um serviço que vale a pena pesquisar muito e tomar muito cuidado com a armadilha do preço “baixo”.

Retrospectiva criativa: Feita gentilmente por um amigo, Emanuel Campos Figueira, que nos presenteou com essa emocionante homenagem que não pode faltar em nenhum casamento, todos adoraram, ele aceita encomendas e faz um trabalho maravilhoso sem a pessoa precisar se deslocar, tudo através da internet.

O carro que levou a noiva também foi um presente de um amigo que é colecionador de carros, o Mercury 71 foi cedido gentilmente e fez muito sucesso no trajeto até a cerimônia, por ser todo original de fábrica e por estar muito conservado e lindo.

Cerimônia: Sempre dizia que se um dia fosse me casar, casaria em uma igreja que frequentava na época da faculdade, fica no Bom Retiro, cheguei a fazer uma promessa nessa igreja, porém em janeiro quando iniciei as pesquisas sobre valores de cerimônia, decoração, registo fotográfico, filmagem e músico, acabei desistindo e quebrando a promessa, essa parte do casamento se fosse feita na igreja, teria gasto quase metade do que previa no orçamento, tudo muito caro e complicado, Deus não ficaria feliz com tal desperdício! Decidimos então pela cerimônia com Juiz de Paz, feita no próprio local da festa. Ficou um charme, a juíza fez um discurso muito lindo e comovente, não teve quem não se emocionasse, e consequentemente economizamos muito com essa decisão.

Lembrancinhas: Já que o estilo do casamento seria rústico e retrô com o tema música e romantismo, decidimos presentear nossos convidados com um lindo CD que imitava um compact disc vinil, as músicas foram todas selecionadas, baixadas e tiveram o som melhorado em aplicativos específicos, trabalho suado, feito pelos noivos, mas que ficou muito bom, a capa e a etiqueta foi feita personalizada, seguindo a mesma identidade da festa, com a querida Cátia da Catitas Convite, a mesma dos convites e papelaria.

Música: A animação ficou por conta do músico Leo e banda, que tocou o melhor do Pop Rock Nacional e Internacional, fizeram um super show, ninguém ficou parado, todos elogiaram muito! Aliás, o rapaz é famoso, tem CD’s gravados, já participou de diversos programas de TV e tocou no Rock in Rio esse ano, tem uma voz maravilhosa e toca muito.

Entendemos que a colaboração dos familiares e amigos é de extrema importância nesse momento, apoiando, incentivando, acalmando os noivos, compartilhando alegrias e angústias e colocando a “mão na massa” que é o mais importante. Todos precisam se envolver, para que o objetivo principal, que é uma festa bem organizada e bonita, seja alcançado. Nesse sentido o mini wedding leva vantagem, porque são poucos convidados, pessoas que realmente são próximas e queridas dos noivos. Toda ajuda é bem vinda!

Enfim nosso casamento foi muito lindo, elogiado, disseram que não faltou nada e o mais importante, estávamos todos muito felizes e com excelente astral!”

Beijos!

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

Casamento real e econômico | Marli e Inaldo

marli-inaldo-casando-sem-grana-casamento-real-economico-csg-sao-paulo-sp-economia (3)

 

 

Local: O Velhão – Restaurante As Véia (11) 4485-1330 | Decoradora – Meire Matias | Convites: Catitas Convites Personalizados | Primeiro Vestido: Light In The Box | Segundo Vestido, acessório de cabelo, traje da daminha, pajens e algumas madrinhas: Ateliê de alta costura Rosa Belle (11) 2408-9424 | Sapatos: Empório GNT (11) 2408-8734 | Alianças: Rua do Ouro | Bolo, doces e bem casados: Karin Schimtz / Elisabeth (11) 97260-0588 | Cabelo e maquiagem: Solange Rodrigues (11) 96162-5531 | Fotografia e Filmagem: Alex Farfan | Topo de bolo personalizado: Luciene (11) 99942-7107 | Retrospectiva Criativa: Emanuel Figueiras | Músico: Leo Mancini

[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d