Lua de Mel

Paris na lua-de-mel: um sonho que cabe no bolso

Qualquer casal que poupou aquela graninha para fazer da lua-de-mel uma experiência inesquecível tem seu sonho de consumo. O mais comum, com certeza, é conhecer Paris, a eterna Cidade Luz. Capital da França e banhada pelo maravilhoso Rio Sena, Paris é capaz de oferecer, em quase cada esquina, experiências únicas, seja por meio de seus deslumbrantes monumentos históricos ou de seus inúmeros museus, jardins, parques, cafés e restaurantes.

Para garantir uma viagem inesquecível que caiba no bolso, o Dubbi, novo site brasileiro especializado em dúvidas de viagem, apresenta algumas dicas de viagem que podem ser muito úteis para recém-casados.

Para o leitor ter uma ideia de valores, a taxa de câmbio utilizada foi a de 05/05/2016: € 1 = R$ 4,03. Da mesma forma, as tarifas de hospedagem, transporte, alimentação e passeios usaram a mesma data como referência.

I – Transporte

Paris tem uma ampla malha de metrô e diversas linhas de ônibus para os mais diversos pontos da cidade, sendo considerada por muitos como a dona do melhor sistema de transporte público do mundo.

Além disso, caminhar pelas ruas da Cidade Luz é uma experiência muito agradável. Por isso, os usuários do Dubbi aconselham aos viajantes que organizem o seu roteiro de viagem de forma a agrupar atrações próximas, facilitando o deslocamento e otimizando o tempo.

Para isso, é essencial que o casal compre o passe Paris Visite, bilhete especial para turistas que pode ser usado no metrô, RER (trem), ônibus, tramway e na funicular de Montmatre. A opção mais em conta, válida por 5 dias consecutivos, custa cerca de € 30 (R$ 120) por cabeça e garante transporte ilimitado por todo o centro expandido de Paris – onde estão suas principais atrações turísticas.

Se o casal preferir um meio de transporte alternativo, Paris, como algumas capitais brasileiras, também possui um sistema público de aluguel de bicicletas, conhecido como Vélib. Para isso, é necessário que pelo menos um dos viajantes tenha um cartão de crédito internacional, para poder pagar a taxa de € 1,70/dia (R$ 6,85) ou € 8/semana (R$ 32).

Mas atenção! Essas tarifas garantem a utilização da bicicleta por, no máximo, 30 minutos por trajeto – o excedente implica em cobrança de um valor extra. De qualquer forma, nada impede que, ao término desse período, o casal devolva a bicicleta em uma estação e a troque por outra, sem pagar nada a mais por isso.

lua-de-mel-economica-paris-casando-sem-grana-dubbi (1)

II – Hospedagem

Em termos de hospedagem, a primeira palavra que vem à cabeça do turista sem grana é hostel. Mas um casal em plena lua-de-mel com certeza vai desejar algo mais exclusivo – o que não quer dizer que vai ter que gastar todas as suas economias com isso!

Usuários do Dubbi indicam uma série de locais aconchegantes a preços módicos para o viajante interessado em desfrutar do clima incomparável de Paris.

Uma dica importante dos colaboradores do Dubbi é evitar os distritos (arrondissements) com numeração mais baixa – ou seja, mais centralizados. Isso porque ali a hospedagem é mais cara e, independentemente de distâncias, de metrô chega-se em qualquer lugar em um tempo razoável. Os 11º, 12º e 13º distritos são os mais indicados.

Os hotéis da rede Ibis são sempre referência em termos de padrões de qualidade e preços honestos: há unidades em vários bons distritos da cidade (Cambronne, Bastille, Montmatre e La Villette, para citar alguns) com diárias variando entre € 60 e € 100 (R$ 240-400) para o casal.

Beautiful City, Perfect, Hotel Bellevue e Les Piaules são outras boas opções com tarifas na faixa de € 100 (R$400) por casal.

Se o casal não se importar em fazer algumas tarefas de casa, o Air BnB é sempre uma excelente opção em termos de preço e localização.

lua-de-mel-economica-paris-casando-sem-grana-dubbi (3)

III – Alimentação

Quem nunca sonhou em tomar um vinho ou apreciar uma ótima refeição em um café ou bistrô nas vielas apaixonantes de Paris? Mais: quem nunca sonhou em fazer isso sem gastar muito?

Sabendo se organizar, o sonho pode muito bem se tornar uma realidade inesquecível. O primeiro mandamento da rede de colaboradores do Dubbi é simples: evite locais próximos a atrações turísticas.

Se o casal estiver na correria para conseguir ver o máximo possível do que a Cidade Luz tem para oferecer,  o almoço não precisa ser mito elaborado: burritos, kebabs, fast-food (Subway, McDonald’s, Quick) e crepes são opções baratas de manter o estômago forrado ao longo do dia por menos de € 5 (R$ 20). Uma indicação especial dos usuários é a sanduicheria Les Bols de Jean, tipicamente francesa, que oferece bons lanches por cerca de € 8 (R$ 32).

Caso o viajante opte por respeitar as tradições parisienses e prefira comer num bistrô, alternativas não faltam. Muitos bistrôs oferecem menus executivos (formule du jour), incluindo uma taça de vinho, com preços variando entre € 15 e € 20 (R$ 60-80).

O Café Voulez Vous (€ 14/R$ 56), na Rue du Temple, o Chez Hugo, na  Rue du Papillon, e o Baffo (que serve trufas deliciosas), na Rue Pecquay, são fortemente recomendados nos quesitos preço e qualidade. Restaurantes italianos também são indicados como uma opção segura em termos de custo-benefício. Os usuários do Dubbi também recomendam fortemente os restaurantes da rue de la Roquette, na Bastille, onde há muitos restaurantes com comidas do mundo inteiro a preços acessíveis.

Os macetes para gastar pouco são vários: peça água da torneira (carafe d’eau) em vez de água mineral (bouteille d’eau), prefira o vinho da casa (mais barato que os demais) e não aceite o cafezinho.

E, claro, para o casal que tenha optado por alugar um apartamento no Air BnB, use e abuse das baguetes e queijos e oferecidos nos supermercados franceses. A opção é barata e, acreditem, não enjoa.

heart in hands, loving couple in Paris, France

IV – Passeios

A dica principal dos colaboradores do Dubbi é comprar o Paris Museum Card, que faz com que o casal evite filas para comprar os ingressos para cada atração e que vale para muitas das principais atrações turísticas da cidade, como os museus do Louvre, D’Orsay, des Invalides e Orangeries, o palácio de Versalhes, a Saint Capelle e a Conciergerie. O custo benefício é indiscutível: € 56 por cabeça (R$ 224).

O Museu do Louvre, casa da Mona Lisa, e o Palácio de Versalhes são cartões de visita indiscutíveis da cidade, mas atenção: os programas são bastante intensos e exigem pelo menos um dia de viagem cada. Por isso, o planejamento é essencial.

O famoso passeio de barco pelo Rio Sena (Bateau Mouche) é indicado, ao custo de € 13,50 (R$ 55) por cabeça. A recomendação da colaboradora Martha Sousa é de fazer a viagem no primeiro dia, para se ter uma visão geral das atrações turísticas da cidade.

Para curtir o visual deslumbrante de Paris, as opções que oferecem uma panorâmica da cidade são a Torre Eiffel (€ 15 / R$60), o Arco do Triunfo (€ 9,50 / R$ 38) e o Trocadero, praça que oferece de graça uma vista maravilhosa da Torre.

As catedrais da cidade também são um programa imperdível e, melhor, não custam nada! A Notre Dame e a Sacre Coeur são cartões postais célebres e inesquecíveis, com arquiteturas que marcam época. Lembre-se: para subir nas torres dos templos, é necessário pagar uma taxa.

Ainda na linha dos programas de graça, Paris é muito famosa por seus jardins: o mais famoso é o Jardim de Luxemburgo, um local para sentar, recarregar as energias e apreciar a beleza da vegetação. Fica bem próximo ao Panthéon, uma construção imponente que abriga o túmulo de artistas do porte de Victor Hugo, Alexandre Dumas e outros.

Se o casal quiser fazer um programa inusitado aproveitando a atmosfera da cidade, há um tour noturno de bike feito por guias brasileiros. O trajeto começa próximo à Notre Dame e passa pelos principais pontos turísticos da cidade, parando na Torre Eiffel para um brinde com champanhe, e terminando no Louvre. A dica é da colaboradora Carolina Araújo.


[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d