Casamento por adesão: Polêmica ou solução? - Casando Sem Grana
Cardápio Convidar Planejamento REFERÊNCIAS

Casamento por adesão: Polêmica ou solução?

Foto: Fábio Borgato

Começa com cara de polêmica, mas este post promete ser uma boa reflexão até. Eu acho. Tomara.

Casamento por adesão é aquele onde você fará uma recepção/festa em um espaço (churrascaria, pizzaria, restaurantes diversos ou até mesmo num espaço particular) e a comida que cada convidado consumir será pago por ele mesmo.

Parece simples e até aqui você leu e já deve ter formado uma opinião sobre. Eu também tinha a minha e ninguém mudava até que começamos a receber mais e mais e-mails sobre os assuntos e perceber que cada um envolvia um contexto histórico familiar diferente. Como tentamos ao máximo ser imparciais, quero expor hoje todos os parâmetros sobre o assunto.

Por que?

Justamente pela redução de custos para o casal. Você tá lá apertadasso de grana mas não queria deixar passar em branco só porque não pode pagar comida pra geral.

Pra quem?

Lembram do Felipe Dylon que casou por adesão também?

felipe-dylon-casamento

Então. Não quero gerar polêmica até por que nem música do cara eu escuto mentira: Éééé a musa do verão, calor no coração hahahaha. Agora, o que se subentende-se no caso dele? “POW, o cara é artista! Como assim não tem dinheiro pra festa?!”. Tendo ou não, não é isso que se entende?

Logo, entendemos que essa modalidade de celebração é mais destinada a quem está REALMENTE ruim das pernas financeiras, hahaha.

O que diz a etiqueta?

FORMALMENTE, quem convida é que paga. É até lógico: Se eu quero dar uma festa para comemorar algo que diz respeito a mim, logo, eu pago a comemoração. Entretanto, o conceito de “adesão” já é NORMALMENTE inserido no cotidiano. Quer um exemplo? Existem jantares de empresas que a adesão é normal. Vai e paga quem quer.

Como eu comunico um casamento por adesão?

Na hora da entrega dos convites. Aqui é preferível entregá-los em mãos e no bate-papo, explicar como vai ser e até um pouco do motivo. Quem te ama, quer bem e tem condições financeiras para arcar com os custos (as vezes de uma família inteira), vai. Se quiser reforçar a informação, escreva isso no convite ou num cartãozinho anexo a ele: “Casamento por adesão”.

Como escolher o local e o cardápio?

Seja sensata(o). Se o convidado terá de arcar, escolha um local de preço bastante honesto. Você pode até negociar com o dono do local um preço ainda mais simpático para X convidados. Conheço restaurantes que até fazem um charme de decoração no espaço pra receber seus convidados.

E a decoração?

Assim como o cardápio, deve ser uma decoração mais simples…modesta. Tudo muito suave para gerar um clima agradável. Já pensou ser convidada(o) para um casamento por adesão no restaurante mais pomposo, com a decoração mais chic do mundo e um cardápio caríssimo? Cê não vai achar que os noivos são no mínimo doidos? huahauahuahauahuahua!!!

Mesa do Bolo
Linda, simples e charmosa.

Eu conheci um casal que casou por adesão e saiu dizendo que contratou fotógrafo X, doces da Fulana Y, que a noiva ia chegar em um carro alugado da década de 50, que o topo de bolo era importado….resultado? Me segurei até o último para não dar uns *crocs* na cabeça dos dois.

Fazer ou não?

EU, Sammia, sou da seguinte opinião: Falar e julgar é fácil.

Dizer que é feio, deselegante e ficar se intrometendo na vida do casal é easy mas…não é por aí. Há casos onde a família – mesmo duuuura que dá dó – pede que não deixe passar em branco o dia do casamento. Daí o casal tem aqueles amigos ponta-firmes que topam qualquer parada, inclusive a adesão,e  dá tudo certo. Até por que, sei lá…exemplo: Será num rodízio de pizza, aquela lá da massa finiiiiinha, borda de catupity…huumm, hahahahahahaha…e ainda por cima o preço é justo; POW! Demoro! É um passeio em família com um combo celebração do seu casamento. Bacana!

Nesses e-mails todos eu lí muitas situações assim, onde o clima das pessoas contribuiria para dar certo. Mas lí também e-mails de noivas que estavam simplesmente querendo fazer isso para economizar um dinheiro que até podiam gastar mas preferiam aplicar em outras coisas mais caras para o dia. Como eu disse alí em cima, as chances do convidado notar isso e ficar chateado com você, aumentam.

BOM SENSO é a palavra de ordem. Se vai fazer, faça com o coração, pensando também no convidado que vai se arrumar todo (e gastar no salão, com a roupa…) para ir, simplesmente por que te adora.

Quer outras alternativas?

Tá com medo ou quer outras ideia para a adesão? Olha só:

  • Case-se na igreja bem cedinho e depois convide as pessoas para um BRUNCH. Até o brunch pode ser por adesão, mas feito em estabelecimento comercial ou paticular, ele sai MUITO mais barato. Tem sugestão de Brunch aqui e aqui;
  • Case-se cedo na igreja e depois convide os mais íntimos para um almoço em casa;
  • Case-se e se tiver alguém com um sítio ou casa grande, faça um churrasco;
  • Pic nic! Pode cada um levar um prato salgado e você levar os doces, que tal?;
  • Bolo com Champagne!

 

É isso.

Pense, repense, pense de novo, converse com a família, pesquise espaços, preços e não surte: Se você seguir direitin essas dicas, vai dar tudo certo 😉

 

Beijos!

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[176171]
[176171]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d